19:49hs
Quinta Feira, 06 de Agosto de 2020
Aiuruoca
10/07/2020 11h03

O Jiu Jitsu em Aiuruoca forma campeões e se destaca em Minas Gerais

A cidade de Aiuruoca é conhecida pelas suas belezas naturais, cachoeiras e o Parque Estadual da Serra do Papagaio, onde está localizado o Pico do Papagaio e a Mata de Araucária

Iniciado em 2018 pelo Professor de Educação Física e de JIU JITSU Rafael Rodrigues Vieira ( Zohan), o esporte já tem destaques na cidade, o Robson (faixa azul) e o garoto Davi (faixa verde) .

Com uma formação de peso, o professor Rafael iniciou os trabalhos com os aiuruocanos na academia Humanizar, de propriedade do amigo Elias Peixoto. O espaço foi cedido para treinamentos divididos em vários segmentos sempre buscando aprimoramento do treino,  priorizando a melhoria da técnica, a Saúde e bem estar dos praticantes.

O resultado foi um time forte para competições participando de campeonatos em todas as categorias, do infantil até o máster ou sênior onde já conquistaram 22 medalhas e um cinturão promovendo assim o esporte na cidade com alunos de ambos os sexos de 8 a 60 anos.

Formação

Dedicado e bastante disciplinado, o professor Graduado pelos Mestres  Otavio Peixotinho e Álvaro Goncalves ( mestre Ganso ) , sendo Filiado a Academia Toca / Carlson Gracie Aparecida – SP.

O esporte

Quanto à origem do Jiu Jitsu, não há um consenso entre historiadores. A versão mais difundida entre o meio, é a de que o Jiu Jitsu teve origem no Japão. Uma outra versão, muito mais complexa, diz que o Jiu Jitsu surgiu na Índia, onde era praticado por monges. Segundo essa versão, o Jiu Jitsu foi levado então para a China, e depois para o Japão, por intermédio da expansão do próprio budismo. A terceira versão defende que o Jiu Jitsu originou-se na China.

Já a origem do Jiu Jitsu no Brasil não é motivo de desacordo. O Jiu Jitsu foi trazido ao Brasil em 1915, pelo japonês Esai Maeda Koma, ou, como ficou conhecido, Conde Koma.

Em 1916, esse japonês conheceu Gastão Gracie, que se tornou um entusiasta do jiu-jitsu. Gastão, então, levou o mais velho de seus oito filhos, Carlos Gracie, então com 15 anos, para aprender a arte com o japonês.

Assumiu a profissão de lutador e professor de Jiu Jitsu, e, aos 19 anos mudou-se com a família para o Rio de Janeiro. Após algumas viagens para São Paulo e Minas Gerais, onde foi ministrar aulas e participar de algumas lutas, voltou ao Rio em 1925, e abriu a primeira Academia Gracie de Jiu-Jitsu, com seus irmãos Gastão e Oswaldo como assessores.

Os Gracie aprimoraram as técnicas do Jiu Jitsu, sendo que, a maior diferença para o Jiu Jitsu tradicional, é o fato de que os japoneses privilegiam as quedas, enquanto a técnica dos Gracie privilegia as lutas no chão.

Atualmente, o Jiu Jitsu brasileiro é mais difundido que o original japonês, sendo inclusive, exportado para o Japão e para todo o resto do mundo.

 

Fontes:Confederação Brasileira de Jiu Jitsu. Acessado em 30 de mar. de 2008. Disponível em: http://www.cbjj.com.br/

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG