03:06hs
Sexta Feira, 22 de Setembro de 2017
Aiuruoca - Pontos Turísticos
23/09/2013 14h25

Aiuruoca

Município conta com mais de 80 cachoeiras de rara beleza cênica.

O turismo de Aiuruoca é bem rico em opções de lazer. O município conta com mais de 80 cachoeiras de rara beleza cênica, algumas imperdíveis. É aconselhável ir acompanhado por um guia turístico, pois os caminhos têm bifurcações e a chance de se perder é grande.

Cachoeiras

A cachoeira da Lage, localizada na Fazenda da Lage, a 17 km de Aiuruoca é composta por uma única queda e um poço raso para banho. Fica próxima da cachoeira Duas Quedas (cerca de 3 quilômetros). É possível entrar debaixo da queda e ver a água cair à frente e também possibilita duchas muito refrescantes. O carro do turista pode ser deixado a uma distância de apenas 10 metros da cachoeira que é o ideal para quem quer andar pouco e também levar crianças ou viajar na companhia de idosos ou pessoas que não estejam acostumadas a longas caminhadas, ou ainda, caminhadas curtas com um nível de dificuldade maior. Qualquer pessoa chega até a cachoeira da Lage com muita facilidade.

Também há o Retiro dos Pedros localizado a uma atitulide de 2200 metros. Uma vista maravilhosa que vale a pena conhecer.

A cachoeira das Garcias é a mais visitada da região devido a sua beleza. Apresenta uma queda d’água de 30 metros e ótima piscina natural. A trilha de acesso a cachoeira é de 20 minutos e é indispensável a presença de um guia turístico.

“Os Caldeirões” são muito procurados por estarem próximos do centro. O local é bom para nadar e os mais corajosos podem descer o trecho do rio de caiaque ou boia

O “Pocinho” é uma área verde fechada, a cinco quilômetros do centro da cidade, à beira da estrada que segue para o município de Alagoa, encontra-se piscinas, poços e duchas naturais. E o chamado Pocinho do Badóglio, cujas águas nascem em torno do Pico e descem formando um “balneário” da população e visitante.

A cachoeira Deus-me-livre também fica localizada a 5 km do centro de Aiuruoca e conta com três quedas d’água principais, terminando em uma bela piscina natural, muito boa para banho.

A cachoeira da “Antiga Usina” fica localizada na represa da antiga usina hidrelétrica de Aiuruoca. No topo da cachoeira há uma barragem onde é possível o nado. Deste ponto segue uma corredeira por uma longa queda. A vegetação em torno do local é de mata nativa, proporcionando uma caminhada agradável.

A cachoeira do Batuque possui ótimas duchas e quedas d’água de 25 metros, mas não possui poço. Uma caminhada de cerca de 25 minutos é necessária, a partir da Pousada do Batuque, estrada para o Matutu, a 12 km.

A cachoeira das fadas é a mais indicada para levar as crianças, com acesso fácil e poço bom para banho com águas cristalinas. A trilha é de apenas 800 metros.

A cachoeira do Fundo, com seus 130m de queda livre, é a mais alta do município, mas não possui poço. Para se chegar, é necessário passar por uma trilha com tempo de caminhada de duas horas. Os passeios partem do Casarão, no Vale do Matutu, a 20 km. Há também a Reserva Natural Matutu, com vegetação de Mata Atlântica e várias trilhas que levam a cachoeiras como estreito, pinheiral, entre outras.

Praça

Fora as cachoeiras, o município conta como ponto turístico a praça Monsenhor Nágel, que fica localizada no centro da cidade é uma das principais paradas dos visitantes.

Museu

Aliado ao turismo e a cultura, também há o museu municipal. Em 2008, após sete anos a Prefeitura de Aiuruoca adquiriu a residência com todo o seu acervo, assumindo o compromisso de resguardar e preservar a memória não somente do seu ilustre filho , mas também, da história da cidade contada através do seu acervo. O acervo do Museu, é formado por um variado espólio, que cria um espaço museológico curioso. Assim, numa mesma sala podem ser apreciadas as mais variadas obras de arte expostas sem aparente ligação técnica, temática ou cronológica. Aí está a particularidade do Museu Municipal Dr. Júlio Arantes Sanderson de Queiróz. Nesta aparente falta de lógica, existe precisamente uma “lógica” de um lugar que quer ser visto como um todo e não como um abrigo de peças particularizadas.

Esta tipologia de museus tem a sua origem nos “Gabinetes de Curiosidades”  dos séculos XV e XVI. Também outros museus no mundo como o Soane’s Museum em Londres ou o Museu da Universidade de Oxford, ainda apresentam as suas coleções expostas na sua aparente desorganização e caos.

Assim, percorrendo as treze salas, surge um grande espólio que abrange desde a imaginária, passando pela estatuária, cerâmica, medalhística, pintura, mobiliário, têxteis, etnografia, ciências naturais e ainda por uma criação do próprio Dr. Júlio Arantes Sanderson de Queiróz, o projeto e o livro “Patheon do Heróis de Curar” uma coleção de placas de aço que trazem a biografia de todos os inventores, médicos, cientistas que proporcionaram a vida, uma exaltação a estes heróis de curar e não de matar.

Pico do Papagaio

O Pico do Papagaio é um dos pontos turísticos mais importantes de Aiuruoca. Possui 2.100 m de altitude e é a principal formação rochosa de uma cadeia de montanhas pertencentes à Serra da Mantiqueira localizada no Parque Estadual da Serra do Papagaio. O parque foi criado em 1998, e abrange os municípios de Aiuruoca, Alagoa, Baependi, Itamonte e Pouso Alto. A mesma cadeia de montanhas possui um local, próximo a este pico, denominado “Retiro dos Pedros”.  


SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Dr. Olavo Gomes Pinto, 61/207 - Centro - São Lourenço - MG