15:55hs
Domigo, 19 de Maio de 2019
Aiuruoca - Turismo
01/01/2014 00h00

Turismo em Aiuruoca

Turismo em Aiuruoca

O turismo de Aiuruoca é bem rico em opções de lazer. O município conta com mais de 80 cachoeiras de rara beleza cênica, algumas imperdíveis. É aconselhável ir acompanhado por um guia turístico, pois os caminhos têm bifurcações e a chance de se perder é grande. Em Aiuruoca localiza-se a nascente mais alta do Brasil, estando a 2450m.

Além das belezas naturais que circundam a cidade, o município tem em seu centro um charmoso ponto de parada dos visitantes, a praça Monsenhor Nágel e a belíssima Igreja Matriz da Nossa Sra. da Conceição, com casarões antigos enfeitando as ruelas da cidade.

Localizada a aproximadamente 1000 metros de altitude e com relevo irregular, Aiuruoca oferece diferentes opções de hospedagem. Para quem gosta de estar bem próximo à natureza e às diferentes trilhas, o Vale do Matutu oferece diferentes opções, com alimentação natural, ioga e meditação, em sintonia com as comunidades alternativas que se instalaram ali ao longo dos anos.

Em meados dos anos 80, comunidades escolheram o Vale do Matutu, com orientações variadas, dedicadas ao Santo Daime, ou aos cultos orientais, mas todas pregando um respeito e contato com a natureza. Tanto, que os grupos, bem organizados, criaram entidades como a Ama Matutu e a Cooperativa do Matutu, com objetivo de preservar a fauna e flora do Vale além de expor os produtos artesanais que eles mesmo produzem, como queios, mel, geleias e conservas, ervas para banhos, cosméticos naturais, objetos de decoração e outros.

Com uma temperatura média anual de 19ºC é um destino tranquilo e com muita beleza natural para o visitante, com variadas opções para cada gosto. Uma curiosidade é que Aiuruoca tem o primeiro carnival antecipado da história do Brasil, que aconteceu pela primeira vez em 1938 e desde então virou referência e até hoje celebra as festividades uma semana antes da data official, atraindo turistas de todo o Brasil.

A cidade hospitaleira, com aproximadamente 6 mil e 500 habitantes, oferece também deliciosas opções de queijos e derivados de leite, como o queijo prato, parmesão, queijo minas, do frescal ao mais curado e o tradicional mozarela. Há ainda opção para quem gosta de linguiças artesanais fabricadas nas fazendas da região, e também manteiga e requeijão.

A cidade é considerada uma das sete Cidades Sagradas do Sul de Minas Gerais, a cidade da Taumaturgia, comunicação com a Consciência Angélica, que promove a purificação da alma.niversário da cidade.

A santa padroeira da cidade é Nossa Sra da Conceição.

 

Pontos Turísticos

Cachoeiras

A cachoeira da Lage, localizada na Fazenda da Lage, a 17 km de Aiuruoca é composta por uma única queda e um poço raso para banho. Fica próxima da cachoeira Duas Quedas (cerca de 3 quilômetros). É possível entrar debaixo da queda e ver a água cair à frente e também possibilita duchas muito refrescantes. O carro do turista pode ser deixado a uma distância de apenas 10 metros da cachoeira que é o ideal para quem quer andar pouco e também levar crianças ou viajar na companhia de idosos ou pessoas que não estejam acostumadas a longas caminhadas, ou ainda, caminhadas curtas com um nível de dificuldade maior. Qualquer pessoa chega até a cachoeira da Lage com muita facilidade.

Também há o Retiro dos Pedros localizado a uma atitulide de 2200 metros. Uma vista maravilhosa que vale a pena conhecer.

A cachoeira das Garcias é a mais visitada da região devido a sua beleza. Apresenta uma queda d’água de 30 metros e ótima piscina natural. A trilha de acesso a cachoeira é de 20 minutos e é indispensável a presença de um guia turístico.

“Os Caldeirões” são muito procurados por estarem próximos do centro. O local é bom para nadar e os mais corajosos podem descer o trecho do rio de caiaque ou boia

O “Pocinho” é uma área verde fechada, a cinco quilômetros do centro da cidade, à beira da estrada que segue para o município de Alagoa, encontra-se piscinas, poços e duchas naturais. E o chamado Pocinho do Badóglio, cujas águas nascem em torno do Pico e descem formando um “balneário” da população e visitante.

A cachoeira Deus-me-livre também fica localizada a 5 km do centro de Aiuruoca e conta com três quedas d’água principais, terminando em uma bela piscina natural, muito boa para banho.

A cachoeira da “Antiga Usina” fica localizada na represa da antiga usina hidrelétrica de Aiuruoca. No topo da cachoeira há uma barragem onde é possível o nado. Deste ponto segue uma corredeira por uma longa queda. A vegetação em torno do local é de mata nativa, proporcionando uma caminhada agradável.

A cachoeira do Batuque possui ótimas duchas e quedas d’água de 25 metros, mas não possui poço. Uma caminhada de cerca de 25 minutos é necessária, a partir da Pousada do Batuque, estrada para o Matutu, a 12 km.

A cachoeira das Fadas é a mais indicada para levar as crianças, com acesso fácil e poço bom para banho com águas cristalinas. A trilha é de apenas 800 metros.

A cachoeira do Fundo, com seus 130m de queda livre, é a mais alta do município, mas não possui poço. Para se chegar, é necessário passar por uma trilha com tempo de caminhada de duas horas. Os passeios partem do Casarão, no Vale do Matutu, a 20 km. Há também a Reserva Natural Matutu, com vegetação de Mata Atlântica e várias trilhas que levam a cachoeiras como estreito, pinheiral, entre outras.

Museu - Em 2008, após sete anos a Prefeitura de Aiuruoca adquiriu a residência com todo o seu acervo, assumindo o compromisso de resguardar e preservar a memória não somente do seu ilustre filho, mas também, da história da cidade contada através do seu acervo. O acervo do Museu é formado por um variado espólio, que cria um espaço museológico curioso. Assim, numa mesma sala podem ser apreciadas as mais variadas obras de arte expostas sem aparente ligação técnica, temática ou cronológica. Aí está a particularidade do Museu Municipal Dr. Júlio Arantes Sanderson de Queiróz. Nesta aparente falta de lógica, existe precisamente uma “lógica” de um lugar que quer ser visto como um todo e não como um abrigo de peças particularizadas.

Esta tipologia de museus tem a sua origem nos “Gabinetes de Curiosidades”  dos séculos XV e XVI. Também outros museus no mundo como o Soane’s Museum em Londres ou o Museu da Universidade de Oxford, ainda apresentam as suas coleções expostas na sua aparente desorganização e caos.

Assim, percorrendo as treze salas, surge um grande espólio que abrange desde a imaginária, passando pela estatuária, cerâmica, medalhística, pintura, mobiliário, têxteis, etnografia, ciências naturais e ainda por uma criação do próprio Dr. Júlio Arantes Sanderson de Queiróz, o projeto e o livro “Patheon do Heróis de Curar” uma coleção de placas de aço que trazem a biografia de todos os inventores, médicos, cientistas que proporcionaram a vida, uma exaltação a estes heróis de curar e não de matar.

Pico do Papagaio - Caminhada com 7 horas de duração (Ida e Volta) dentro do Parque Estadual da Serra do Papagaio, exigindo da pessoa algum preparo físico. Aconselhável levar água, lanche, e blusa. A trilha passa por trechos de Mata de Candeial, Campos Rupestres e Floresta Tropical de Altitude. Chegando ao cume o visitante tem uma visão de 360 graus da região e está a uma altitude de 2100 metros.

Vale dos Garcias - Nesse roteiro você pode visitar o Poço do Joaquim Bernardo, local excelente pra pessoas da 3ª idade ou famílias. Também se pode visitar a Cachoeira do Tiziu, Cachoeira da Esperança, Prainha e a Cachoeira dos Garcias. O vale tem um visual de altitude e sua vegetação e parecida com Serrado e nas partes mais altas aparecem os Campos de Altitude.

Vale do Matutu - Roteiro com várias e diferentes atrações, aconselhável antes de começar sua visitação, procurar informações no Casarão do Matutu com o Lázaro. Pode-se visitar a Cachoeira das Fadas, Cachoeira do Fundo, Cachoeira dos Macacos, Cabeça do Leão, além de trilhas de Bike e cavalos, Arvorismo, Terapias e Massagens.

Lage e Bananal - Roteiro rápido e fácil para qualquer pessoa, ideal para meio dia de visita, passando por cachoeiras e fazendas antigas.

 

Festas Religiosas:

Folia de Reis nas Zonas Rurais – em janeiro

Semana Santa – em março ou abril

Corpus Christi – em junho

Festa da padroeira N. Sra. da Conceição – em dezembro

 

 

 

Vista parcial da cidade

 Pico do Papagaio

Cachoeria dos Garcias

Rapel na Pedra Quadrada

 

 

 

atualizado em Março/2015

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG