03:42hs
Terça Feira, 26 de Março de 2019
Baependi - Notícias
17/06/2016 12h16

121 anos da morte da beata Nhá Chica, a mãe dos pobres

Celebração teve início no dia 5 de junho com novena e encerrou dia 14, com a participação de mais de 10 mil fiéis

A Igreja comemorou a “Páscoa de Nhá Chica”, celebrando os 121 anos da morte da beata Francisca de Paula de Jesus, a Nhá Chica. No dia 14 de junho, dia dedicado à beata, o Santuário Nossa Senhora da Conceição recebeu mais de 10 mil fiéis.

A festa litúrgica teve início às 9h com celebração de missa por Dom Pedro Cunha Cruz, bispo diocesana da Campanha (MG) e, às 18h, uma emocionante procissão da Igreja Matriz em direção à Igreja de Nossa Senhora da Conceição, onde participaram da missa de encerramento da programação solene em honra à beata.

O tema da celebração foi a frase proferida pelo papa Francisco: “Nhá Chica, testemunha perspicaz da Misericórdia Divina”. A beata é conhecida por sua caridade e devoção, tendo sido em vida um instrumento de edificação do amor ao próximo. De origem humilde e sem instrução, Nhá Chica foi ainda em vida aclamada como “mãe dos pobres”, por atender piedosamente a todos que a ela se recomendavam. Nunca discriminou ninguém, ricos ou pobres, sempre tendo uma palavra de conforto, um conselho ou uma promessa de oração.

Nhá Chica morreu no dia 14 de junho de 1895, com 87 anos de idade. De acordo com sua biografia, foi sepultada somente no dia 18, no interior da Capela por ela construída e exalava de seu corpo um misterioso perfume de rosas durante os quatro dias de seu velório.

 

A comissão em prol de sua beatificação começou em 1989 e, em 1991, ela passou a ser considerada serva de Deus, a primeira nomeação do processo de canonização. Em 2012, foi elevada a venerável com reconhecimento pelo Vaticano da cura da doença de coração de uma devota, o que permitiu sua beatificação, em 2013, sendo a primeira mulher negra beatificada no Brasil.

“A sua vida foi uma entrega generosa ao Bom Deus e aos excluídos de seu tempo, presentes nas mais diversas periferias existenciais e geográficas...A Beata Nhá Chica reflete o modo simples do múnus pastoral do Pontífice Reinante”, declarou padre Baroni em entrevista ao portal A12.

A Paróquia Santa Maria de Baependi promoveu a Novena, com início no dia 5 de junho e término no dia 13. Durante todos os dias, fiéis oravam na igreja da Imaculada Conceição Nhá Chica. A Novena teve participações de autoridades eclesiásticas presidindo cada dia: o bispo emérito Dom Frei Diamantino Prata de Carvalho, como presidente do primeiro dia da novena; o padre Afonso Henrique Alves da Silva, pároco na paróquia São Bento na cidade de São Bento Abade; o padre Rogério Augusto, da paróquia do Cristo Redentor na cidade de Três Pontas; o padre Pedro Paulo Santos, da comunidade Magnificat em Três Corações; o padre André Luis da Cruz, vigário da paróquia de Nossa Senhora D’Ajuda na cidade de Três Pontas; padre Mariano, da congregação dos padres do Sagrado Coração de Jesus Dehoniano, de Taubaté; o bispo emérito de São João del Rey, Dom Waldemar Chávez de Araújo.

Além da Novena foram celebradas missas em louvor à beata durante os dias que antecederam a data da grande celebração.

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG