23:04hs
Domigo, 21 de Julho de 2019
Baependi - Notícias
21/01/2016 17h41

NPA visita sítios Arqueológicos Rupestres, em Baependi

Novos sítios do Sul de Minas podem ajudar a revelar uma tradição rupestre própria do Alto Rio Grande e destacam a importância dos abrigos rochosos para a arqueologia.

Fonte: NPA


No dia 09 de janeiro de 2016 integrantes do Núcleo de Pesquisas Arqueológicas do Alto Rio Grande, acompanhados de representante do Conselho Municipal de Patrimônio Cultural, visitaram e cadastraram dois sítios arqueológicos com registros de pinturas rupestres no município de Baependi, Sul de Minas, a 90 km de Andrelândia.

O primeiro sítio visitado está localizado na região denominada Itaúna, microbacia do Ribeirão do Jacu,  a 1.167 m de altitude,  e é constituído por um  pequeno abrigo rochoso, em gnaisse, com cerca de três metros de altura e  registros de pinturas na cor vermelho, sendo possível a identificação de dois antropomorfos lado a lado, além de representações geométricas. Sobreposições de figuras indicam a possível existência de dois níveis cronológicos de representações.

O segundo sítio situa-se na região denominada Recreio, nas proximidades do Gamarra, constituído por um abrigo rochoso em gnaisse,  de cerca de 40 m de extensão, a 1011 m de altitude,  repleto de pinturas rupestres monocrômicas (vermelhas), com indícios de bicromia em vermelho/amarelo em pinturas que se encontram bastante apagadas. Há sequências de antropomorfos em aparente cena de dança, sauros e geométricos pontuados e angulares.

A identificação dos novos sítios rupestres em Baependi, aliados aos existentes em Andrelândia, Carrancas, Itutinga, Luminárias, São João del-Rei, São Tomé das Letras e Serranos, permite que se avente a possibilidade da existência de uma tradição rupestre própria do Alto Rio Grande, uma vez que há elementos comuns a todos eles, como a predominância dos registros geométricos monocrômicos vermelhos (bastonetes, pontuados e angulares), destacada presença de sauros e representações antropomórficas filiformes. Entretanto, somente como o aprofundamento dos estudos por meio de arqueólogos é que a hipótese poderá ser confirmada.

Os levantamentos do Núcleo de Pesquisas Arqueológicas do Alto Rio Grande realçam a importância, sob a ótica da arqueologia, dos abrigos rochosos, ocorrências espeleológicas caracterizadas pela profundidade menor do que a altura. Os abrigos eram rotineiramente utilizados pelas populações pré-históricas tanto para moradia quanto para fins cerimoniais e ritualísticos, razão pela qual merecem especial atenção, havendo registros rupestres evidentes ou não.

 

Fonte: NPA

 

 

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG