18:10hs
Sábado, 25 de Maio de 2019
Carmo de Minas - Notícias
15/07/2015 14h51

Dia de campo sobre morango orgânico, em Carmo de Minas

Dia 19 de julho será realizado um dia de campo para produtores da região

Foto: Embrapa

Mais de 40 produtores já estão inscritos para o Dia de Campo que irá acontecer no próximo domingo, dia 19 de julho, na Oka Katupé, em Carmo de Minas.

Das 09:00h às 15:00h, o dia será passado em meio a plantação de morango suspensa, com teoria e prática sobre a plantação de morango orgânico.

“Meu sonho é um dia ter no Sul de Minas a Festa do Morango orgânico, onde a população ajuda na colheita e come o quanto quiser”, conta Hélio Brasil, proprietário do sítio Oka Katupé e um dos fundadores da Associação Permacultural Montanhas da Mantiqueira (APOMM).

Estudo realizado pela Esalq-USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo), realizado entre 2011 e 2013 , em Piracicaba (SP), afirma que morangos obtidos pelo sistema orgânico são mais firmes e doces do que os cultivados de forma convencional.

Os morangos pesquisados foram produzidos em São Paulo e Minas. Além da conclusão de que os morangos orgânicos são mais firmes e doces, foi verificado que também têm cores mais vivas. Já os morangos produzidos de forma convencional, com agrotóxicos, apresentaram menor índice de podridão, o que significa que, entre o armazenamento e o consumo, ele se deteriora mais lentamente.

Porém, para a pesquisadora e engenheira agrônoma Carolina Andrade, a diferença de tempo de deterioração entre o fruto orgânico e o convencional não é significativa.

Em 2012, a Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva) elaborou um documento, alertando sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde e segurança alimentar. “O consumo prolongado de alimentos contaminados por agrotóxico --ou seja, com quantidade de produto acima do permitido-- pode provocar ao longo de 20 anos doenças como câncer, distúrbios endócrinos, neurológicos e mentais”, afirma Fernando Carneiro, chefe do departamento de Saúde Coletiva da UnB (Universidade de Brasília), um dos coordenadores do estudo.

Durante o cultivo comercial do morango é utilizada uma grande quantidade de produtos químicos, principalmente por ser um fruto muito suscetível ao ataque de pragas e doenças.

"O morango figura entre os principais alimentos nos quais são encontrados resíduos de agroquímicos acima do limite permitido. Por isso é visto como 'vilão' entre os alimentos", diz Carolina Andrade.

"Porém, deve-se lembrar de que se trata de uma cultura para a qual não são feitos tantos investimentos e estudos em tecnologia de defensivos quanto para culturas como soja, milho, cana-de-açúcar, mais expressivas economicamente", afirma a pesquisadora.

 

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG