22:26hs
Quarta Feira, 19 de Junho de 2019
Carvalhos - Notícias
13/01/2011 10h19

Chuvas no Sul de Minas castigam cidades provocando transtornos

Chuvas no Sul de Minas castigam cidades provocando transtornos

As chuvas que atingem o Sul de Minas Gerais, desde o início da semana têm castigado as cidades da região.

 

Em Pouso Alto, a praça central da cidade chegou a ficar submersa no início da semana. O ribeirão Pouso Alto registrou 2,5 metros acima do nível normal e algumas lojas e casas foram inundadas.

 

A Defesa Civil solicitou ajuda ao Corpo de Bombeiros de São Lourenço, que está utilizando três barcos para a retirada das famílias ilhadas pela enchente. O bairro Morada do Bosque é o mais atingido, mas de acordo com as informações, nenhum morador ficou ferido. Os bairros Campos Elíseos e Vila Nova também foram atingidos.

 

A Defesa Civil de Itamonte informou também que apenas uma das quatro operadoras de telefonia móvel está operando e que os telefones fixos não funcionam. Um balanço vai divulgar, durante a manhã de hoje o número de famílias atingidas e desalojadas.

 

Até esta terça-feira (11), cerca de cinco mil pessoas já tinham sido atingidas e pelo menos 100 tinham buscado refúgio na casa de parentes e vizinhos. Trinta idosos de um centro que foi inundado foram levados para o hospital da cidade. O rio subiu cerca de cinco metros. Além dos bairros, parte do Centro da cidade também ficou embaixo d´água. No bairro Vila Nova, moradores perderam móveis.

 

A Delegacia de Polícia Civil de Itamonte, foi incendiada na madrugada de terça-feira (11). Foram destruídas a sala do delegado, sala dos investigadores além de inúmeros documentos e processos policiais. O incêndio foi descoberto quando a delegacia foi aberta às 9h da manhã. Ninguém ficou ferido.

 

O prefeito Marcos Tridon de Carvalho decretou situação de emergência.

 

Cidades como Passa Quatro, Itanhandu, Pouso Alto e Conceição do Rio Verde estão em estado de alerta.

 

Dados atualizados até esta quarta-feira (12) indicam que o número de desabrigados e desalojados no Sul do Estado subiu para 718. Na região, quatro pontes foram destruídas e outras seis estão danificadas.

 

Veja a situação em outras cidades da região

 

Ainda é grave a situação na cidade de Alagoa. O município está isolado por causa da chuva. A estrada que liga o município a Itamonte está totalmente destruída. Várias barreiras impedem a circulação de veículos. Na estrada que vai para Aiuruoca, a queda de uma ponte impede o acesso ao município. Além disto, a ponte sobre o Ribeirão Vermelho, na entrada da cidade, corre o risco de cair.

 

Até agora o município conta 148 pessoas desalojadas. Sete casas foram levadas pela enxurrada e outras dez ficaram destruídas. Outras 53 residências foram atingidas pelas enchentes e três prédios públicos foram inundados.

 

Aiuruoca


O rio Aiuruoca subiu cinco metros e deixou 15 famílias desalojadas. Quinze famílias tiveram que abandonar suas casas e se instalar em casas de parentes.

 

Cinquenta pessoas estão desalojadas em Aiuruoca, no Sul de Minas, por causa das chuvas. As 15 famílias estão em casas de parentes. Algumas delas colocaram seus pertences no ginásio poliesportivo da escola municipal Professora Maria José Ematné. Na praça e nas quatro ruas que foram atingidas pela enchente a água já secou. O nível do rio Aiuruoca baixou dois metros, mas ainda está cinco metros acima do normal.

 

As famílias não podem voltar para suas casas, porque a Defesa Civil e a Prefeitura de Aiuruoca estão fazendo avaliações dos riscos.

 

Caxambu


O Parque das Águas está alagado no município. Segundo a Polícia Militar, a água chegou a 50 centímetros. Um córrego transbordou. De acordo com a Defesa Civil, vários barrancos desmoronaram na cidade.

 

Carvalhos


O rio dos Franceses chegou a subir três metros na cidade. Por onde a água passou deixou estragos. Três casas caíram e 200 famílias foram atingidas. A água danificou todos os carros da Prefeitura. Em algumas ruas, a água chegou a mais de seis metros de altura. As enchentes atingiram um centro comercial e muitas lojas.

 

De acordo com o vice-prefeito, a situação do município é grave. “Ainda não tivemos como calcular todos os estragos, mas é possível afirmar que os prejuízos são incalculáveis porque todo o centro comercial da cidade foi atingido. Além de estabelecimentos comerciais, perdemos mais de 95% da frota municipal. Também ocorreram quedas de várias barreiras na zona rural; no bairro do Muquém, uma casa caiu com cinco pessoas, mas felizmente não houve vítimas graves. A Prefeitura já tomou todas as providências necessárias para mobilizar a Defesa Civil, Bombeiros e outras formas de ajuda na região”, declarou o vice-prefeito.

 

Seritinga


Em Seritinga, o transbordamento do rio dos Franceses deixou parte da cidade alagada. A ponte que dá acesso ao Centro ficou encoberta. Segundo a Defesa Civil, 172 pessoas estão desalojadas e outras 128 não têm como sair de casa. 42 casas ficaram isoladas.

 

Liberdade


Com a força das águas, a pista da estrada de acesso que liga o município à Bocaina de Minas foi rompida. Dois graves acidentes aconteceram no local: um carro e uma moto caíram numa grande cratera, aberta na estrada, mas felizmente não houve vítimas fatais.

 

BR-460


A BR-460 também ficou interditada durante a madrugada desta terça-feira (11) depois que um temporal atingiu a cidade. Uma árvore caiu e fechou as duas pistas da rodovia. Um barranco também cedeu. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a rodovia foi liberada por volta de 11h.

 

BR-354


Cerca de 20 barreiras já caíram na BR-354 próximo a Itamonte. A rodovia liga a região ao Rio de Janeiro. A pista ficou interditada nos dois sentidos. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, por volta de 17h, alguns trechos já haviam sido parcialmente liberados. Carros já podiam transitar, mas com cuidados. Já caminhões e carretas precisam fazer um desvio por Caxambu e Juiz de Fora. Não há previsão para a liberação total dos trechos.

 

Minas Gerais

 

Em todo o Estado, quase oito mil pessoas ficaram desalojadas e 1.031 desabrigadas. Foram registradas 11 mortes. No total, mais de 150 mil moradores foram afetados pelas enchentes.

 

A Defesa Civil informou ainda que, 11 depósitos em todo o Estado estão abastecidos com cobertores, colchões, cestas básicas, kits de medicamentos, lonas e telhas para fornecer aos municípios que tiverem problemas com a chuva.

 

Segundo um levantamento da Defesa Civil do Estado, desde o começo do período chuvoso, em setembro deste ano, 36 municípios decretaram situação de emergência e 51 comunicaram ocorrência de chuvas fortes.

 

 

A maior enchente da história de Alagoa

 

As fortes chuvas da madrugada do dia 12 de janeiro deixaram a cidade de Alagoa inundada. Tanto a zona rural, com vários bairros afetados, quanto a zona urbana foram atingidas pelas enxurradas.

 

O município está isolado, não há acesso por Itamonte nem por Aiuruoca. A estrada Alagoa x Itamonte está totalmente destruída pela força das chuvas. Na altura do bairro do Quilombo, um dos bairros mais afetados, a estrada apresenta crateras gigantescas. Em todo percurso há barreiras que impedem a circulação de carros, inclusive motos.

 

Já a estrada Alagoa x Aiuruoca está sem a ponte da Campina, no km 6 da via, o que impede o acesso para aquele município. A ponte sobre o ribeirão Vermelho, na entrada da cidade, está correndo risco de cair.

 

Segundo informações do DER/MG - Itajubá uma equipe sobrevoará a rodovia de Alagoa x Itamonte para avaliar os danos.

 

Desde o dia 12, a Defesa Civil, juntamente com funcionários da Prefeitura e a grande ajuda de voluntários estão atuando em toda cidade. Solidariedade é o que se pode perceber nos alagoenses acima desta tragédia.

 

O Corpo de Bombeiros de São Lourenço, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil e a Secretaria Nacional de Defesa Civil já foram acionados. A Notificação Preliminar de Desastre - NOPRED, já foi enviada para os órgãos competentes, o que permite a Defesa Civil continuar desencadeando as próximas etapas.

 

Interessados em fazer doações de alimentos, roupas, móveis e materiais de limpeza favor entrar em contato com André Salomão, membro da COMDEC e Secretário de Assistência Social, através do telefone (35) 9974-0194.

 

Informações oficiais são: 148 desalojados, 10 casas destruídas, 53 afetadas e 3 prédios públicos afetados (Quadra Municipal, Estádio Municipal e Parque de Exposição).

 

Mais informações com a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil: (35) 3366 1448/1449. (Fonte: Defesa Civil. Com informações do site: www.alagoa.mg.gov.br).

 

 

Chuva isola comunidade em Conceição do Rio Verde

 

Ùnico caminho para se chegar à cidade é por uma estrada que está intransitável

 

Uma comunidade está ilhada por causa da chuva em Conceição do Rio Verde. Para chegar até a cidade, o único caminho dos moradores da comunidade "Estação São Thomé" é por uma estrada de terra que está intransitável. Acesso, só com a ajuda de tratores.

 

A ponte que ligava a comunidade a Conceição do Rio Verde caiu com a chuva da semana passada e complicou a vida dos moradores, que estão com dificuldades para escoar a produção do leite e até fazer compras no supermercado.

 

O prefeito de Conceição do Rio Verde disse que vai pedir ajuda financeira ao governo do Estado para reconstruir a ponte do bairro São Tomé. De acordo com a chefe da gabinete, Maria Helena de Souza Pacheco, a documentação com os prejuízos no município deve ser enviada a Belo Horizonte ainda nesta semana. (Com informações da EPTV Sul de Minas).

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG