09:20hs
Terça Feira, 15 de Outubro de 2019
Dom Viçoso - Notícias
09/07/2015 09h27

Feira Empreendedora Escolar – 2015 em Dom Viçoso

Apresentação da história de Dom Viçoso, com o tema “Pecuária Bovina – Sustento de Gerações”.

No dia 4 de julho foi realizada a Feira Empreendedora Escolar, na Escola Cônego José Divino, pela diretoria, professores e toda a comunidade, com a colaboração da Prefeitura Municipal, da Polícia Militar e fazendeiros.

Os alimentos que foram consumidos na barraca fora doados pela comunidade. O evento contou com apresentações de duplas sertanejas, bandas locais e os estudantes que deram um show.

A Feria Empreendedora Escolar de 2015 teve como tema a “Pecuária Bovina - Sustento de Gerações” e realizou uma comovente apresentação contando todo o percurso histórico de Dom Viçoso, desde a sua fundação até os dias de hoje. Para isso, professores e alunos se transformaramem personagens do passado, paracontar a história do município que começa em 1840, até os dias atuais, culminando com a participação no desfile das crianças, netos e fiilhos dos fazendeiros, representando a luta, a persistência e o trabalho de gerações.

Confira a homenagem histórica escrita pela E.E. Cônego José Divino sobre a apresentação durante a Feira, com os nomes dos personagens, da história e da atualidade:

“Em 1840 surgem os primeiros fazendeiros que se instalam na região, mais precisamenteno distrito de Viçoso Velho, onde doam um terreno para a construção da capela, dedicada a Sant’Ana, mãe da Virgem Maria.  Com a ajuda do padre Antônio de Moura, o templo é erguido.

A povoação prosperou e o então Arraial do Rosário foi elevado a distrito, no dia 08 de julho de 1876.  De distrito  é elevado a Freguesia.  Passa a denominar-se “Nossa Senhora do Rosário de Dom Viçoso” depois Rosário de Dom Viçoso e finalmente em 1953, Dom Viçoso.

Solo dom-viçosense, terra privilegiada pela fertilidade, abundante em recursos hídricos. Entre os vales e colinas das Minas Gerais, ao fundo, está a pequenina e acolhedora Dom Viçoso. Suas encostas verdejantes trazem pastagens que desde a segunda metade doséculo XIX alimenta o rebanho leiteiro que se torna a principal fonte de sustento e economia de nosso município.

Mais tarde a sede do Município, que até então era no Viçoso Velho, foi transferida para a Fazenda do Rosário de propriedade do casal Dr. João Capistrano de Macedo Alkimim e de Maria Augusta Cesarino Ribeiro. Neste local, viviam cerca de 200 escravos.

As Famílias aqui residentes ajudam a construir a história do município.

Da doação de suas terras a Nossa Senhora do Rosário, cresce o vilarejo que se forma ao redor da fazenda.

Representando o senhor Luiz Capistrano de Alkmin e Dona Maria Custódia de Guimarães Alkmin, os professores Marcelo Abanca e Silvana Aparecida da Silva mostram o nascer de Dom Viçoso que se deu no século XIX, entre 1840 a 1900. Eles utilizam um dos meios de transporte daquela época, a charrete que é conduzida pelo aluno Wesley do 9º ano.

Rosário de Dom Viçoso segue a sua história; sua economia se baseia na agricultura. As primeiras cabeças do rebanho bovino: gado crioulo, zebu, caracu e simental vêm de Carmo de Minas.

O rebanho é pequeno, aproximadamente, segundo pesquisas, 500 cabeças.

Desfilam representando nossos tropeiros, homens corajosos que muito trabalharam pelo nosso lugar os alunos: Matheus e Milena Cristina, e são acompanhados pelo aluno por Marcinho do EJA II, em sua besta.

Trabalhamos muito e crescemos. Nossa pecuária conhece o gado holandês, inicia-se a criação do gado de corte.

A produção dos derivados do leite aumenta; inicia-se a fabricação do queijo artesanal.

Desfilam representando a terra, a carne e a produção bovina os alunos Fabrício, Danila e Ablene que vêm em um mini carro de boi, guiado por Valdir, do bairro da Bocaina.

O comércio de gado bovino se expande por outras cidades da região. Os peões de boiadeiros eram Jovens sonhadores que montavam em seus bem cuidados animais e se embrenhavam por estas longínquas paragens para conduzir o rebanho e em cada lugar por onde passavam deixavam uma menina a chorar de saudade. Os alunos Luciano e Daniela, Jean Jacinto e Milena dos Santos desfilam representando os peões de boiadeiros, acompanhados por Carlos  e Patrick em seus cavalos.

A pecuária bovina se desenvolve, cresce, atinge um de seus estágios mais altos.

Fabricamos aqui queijo e manteiga com os melhores sabores de Minas Gerais. Novas cabeças de gado são introduzidas no rebanho; alguns fazendeiros já utilizam da técnica de inseminação artificial para melhorar suas raças. Música: Rei do Gado com José Márcio e Julinho.

Nessa época aparece o Jeep, veículo que conduz os fazendeiros e sua família até à cidade.

Representando os filhos dos grandes fazendeiros, os proprietários dos primeiros carros de nosso Município, desfilam os alunos Carlos Henrique e Maria Eduarda que são conduzidos num Jeep, por Jeovane Fonseca.

Paralelo à produção de leite, que muito aumentou em nosso Município, cresce também a produção do boi gordo para o abate. Os primeiros açougues são abertos, a carne é fornecida para frigoríficos da região.

Desfilam representando os produtores de Gado bovino, leiteiro ou de corte, os alunos Luiz Fernando e Ana Carolina. Acompanahdos por Kailane, Thomaz  Rodolfo Augusto, Júnior e João Marcos e seus respectivos animais.

Pequenos proprietários, com muito trabalho conseguem manter e fazem crescer seu rebanho. Os sitiantes ganham espaço no cenário econômico de nosso Município.

Representando a beleza e suavidade dos jovens que com suas mãos calejadas ajudam a manter viva a tradição dos sítios e fazendas, desfilam os alunos Lucas e Bianca, conduzidos num fusca, por Arlindo Carlos.

Hoje a pecuária continua sustentando gerações. Os pecuaristas são trabalhadores que trazem no sangue o gosto pela criação de gado.

Continuamos a produzir o leite e seus derivados, a carne é aqui produzida e comercializada.

Dom viçoso segue sua história, continuamos o trabalho de nossos antepassados, queremos uma cidade mais próspera, sonhamos com um futuro mais promissor.

Nossas crianças hoje, serão os homens do amanhã.

Representando um amanhã promissor, trazemos a passarela netos, bisnetos, descendentes de fazendeiros, e pequenos produtores de nosso município. O trabalho não pára é preciso seguir, construir, ser história hoje, agora.

Vamos receber agora as crianças que irão fechar este desfile, conduzidas por Othon José Mário dos Santos em sua Caminhonete.

 

Desfile

Recebemos com carinho o casal de crianças: Vitor Henrique Elói Soares e Luna Rhaynara Pereira Pinto.

Luna e Vitor são netos e filhos de famílias que através do trabalho com a pecuária bovina  tiram o seu sustento e  e muito engrandecem nosso município.

A luta, o sonho de gerações passadas, presentes nas crianças que agora desfilam.

Sonhar, trabalhar e ter fé é sinônimo que podemos construir muito mais. As crianças Douglas Henrique Candido Musa da Silva e  Maria Clara Moreira Pereira  , desfilam, testemunhando a fé, o trabalho e determinação de  alguém vividos lá no passado por seus tataravós, bisavós e avós. Da vida diária com o gado leiteiro, uma família se sustenta e prospera, as crianças aqui presentes, representam uma Dom Viçoso mais justa  e  menos preconceituosa.

Dom Viçosos vive da força de vontade e do trabalho de seu povo. Aqui o leite tirado do rebanho leiteiro se transforma em alimento nutritivo, de sabor inigualável. Representando o trabalho digno de seus pais, as crianças: Kevin Jhony Campos e  Maria Clara Guerra de Paula , desfilam contando a todos que em Dom Viçoso se fabrica um dos melhores queijos das Minas Gerais.

Do trabalho e da determinação de nossos antepassados, o gosto pela criação do rebanho leiteiro atravessa gerações. As crianças Hiago Felipe Marques de Lima e Ana Karoline de Morais da Silva desfilam representando a luta, a persistência, o gosto pelas criações do gabo bovino que vem de seus tataravós, bisavós e avós. Carol e Hiago, desfilam testemunhando o trabalho de gerações e o orgulho de trazer no sangue o amor pela criação do rebanho leiteiro.

Vivemos o nosso trabalho, da pecuária bovina retiramos nosso sustento.

Das trilhas e estradas de terra ganhamos o asfalto; do tocar o gado a pé e carregar o leite em lombo de burro temos hoje os caminhões. Fechando o desfile, José Pedro Silvério Assis e  Clarissa Luize Marques da Silva, desfilam contando que nossa cidade persiste em seus sonhos, acredita no trabalho de gerações passadas e quer continuar seu caminhar para a prosperidade.

Melhoramos muito, crescemos, estamos em constante transformação. Entendemos, que através do trabalho, do estudo, da honestidade, seremos e teremos uma geração melhor e uma cidade melhor.

Dom Viçoso é a cidade que nós dom viçosenses somos, acreditamos e fazemos. Cabe a cada um de nós construir um lugar melhor para nossos filhos.

Aqui a pecuária bovina continua a sustentar gerações”

 

Agradecimentos

Cartório de Dom Viçoso

Escritório Paroquial

Siat - Prefeitura Municipal

Alfeu Raimundo dos Santos

José Ribeiro de Carvalho

Osório José Palma e Dona Inês

Oswaldo José de Melo e

Maria José Gonçalves de Melo

Maria Ramos de Melo

Nilton Ribeiro Pereira e

Dona Ziza

Sebastião Gomes

José Divino Lucas

Maria Martins Ferreira

Sebastião Rosa Filho

Benedito Ângelo da Silva

Francisco Divino Gomes Camargo

José Raimundo Soares

Pedrinho Ramos

Pedro Rafael da Rosa

Carlos Henrique Pinto

José Silva Soares

Abelardo dos Santos

Denilson Rosa

José Roberto da Silva

 

Realização

Alunos do 3° Ano do Ensino Médio, Turma 2015

Professores:

Benedito Belmiro

Terezinha de Jesus N. N. Rosa

Hugo Leonardo R. Marques

Paulo José Camargo

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG