Estamos de luto pelo Carlinhos do Hospital de Aiuruoca
07:40hs
Sábado, 31 de Outubro de 2020

Leia nossas últimas edições

Correio do Papagaio - Edição 1481
Correio do Papagaio - Edição 1486
Esportes
16/10/2020 21h52

Daniel Alves faz sucesso nas redes sociais e atrai interesse de empresas

Jogador do futebol brasileiro com mais seguidores no Instagram, Daniel Alves vem recebendo propostas para fazer propagandas em suas redes sociais. Embora o meia não esteja sendo o grande destaque do São Paulo dentro de campo, os mais de 31,6 milhões seguidores atraem empresas que buscam divulgar seus produtos em postagens na internet. Daniel Alves está entre os 15 brasileiros com maior número de seguidores no Instagram, numa lista que conta com personalidades como Anitta, Bruna Marquezine e Ivete Sangalo.

Essa é a nova realidade no mercado. Se antes o jogador precisava marcar gols para participar de campanhas publicitárias, hoje é possível ser atraente "apenas" pelo engajamento nas redes sociais. Uma só postagem patrocinada custa no mínimo R$ 40 mil, segundo especialistas da área. Há outros modelos de negócio, como ficar com porcentagem sobre o lucro que a marca tiver com a campanha ou até mesmo receber uma pequena participação das ações da empresa. No Brasil, o formato mais comum é o pagamento por cada postagem.

Estudo realizado pelo Ibope Repucom, que analisou os elencos dos 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro, além de Cruzeiro e Vitória, mostra que o camisa 10 do São Paulo possui mais seguidores do que muitas equipes. O levantamento mapeou 718 atletas, uma média de 32,6 jogadores por clube. Destes, 92% possuem conta ativa no Instagram.

O Estadão conversou com três profissionais da área de marketing esportivo. E todos apontaram o principal fator para que Daniel Alves seja atraente para as marcas: a autenticidade. Enquanto alguns jogadores fazem postagens protocolares, muitas vezes realizadas pela sua equipe de comunicação, o meia do São Paulo mostra seu lado humano e se aproxima dos torcedores através da rede social. O jeito irreverente fez ele até se envolver em polêmica no mês passado, quando postou vídeo tocando instrumento de percussão em meio ao tratamento de fratura no antebraço direito.

"A marca quer um atleta que seja autêntico, que passe esse valor para o consumidor final. E o Daniel é assim. As pessoas identificam o que é 'encheção de linguiça' do que é verdadeiro. Mas ainda vejo a performance esportiva e posicionamento de mercado andando muito juntos. Então não adianta só ter seguidores e estar em má fase por um longo período", diz Pedro Oliveira, sócio-fundador da OutField, empresa que trabalha com o planejamento de carreira do lutador do UFC Anderson Silva e com as marcas New Balance e Ello, que buscam parcerias no esporte.

Além do número de seguidores, o engajamento que o jogador tem é fundamental para atrair patrocinadores. Com as chamadas métricas de conteúdo, que conseguem identificar todos os números de alguma postagem, as empresas sabem exatamente o público que vai alcançar. Não adianta apenas ter milhares de seguidores, até porque é possível pagar para aumentar o número de fãs nas redes sociais, gerando uma interação que não é orgânica. Os esportistas sabem disso e cada vez mais buscam ampliar as relações com os torcedores pela internet.

"Os atletas usam esse contato direto com os fãs para construir uma marca forte, verdadeira. O Daniel é o principal esportista porque passou por muitos clubes grandes, ganhou títulos e é autêntico. Isso atrai anunciante, a empresa sabe exatamente o que está comprando, como vai se conectar ao consumidor final. Para a marca, talvez seja mais relevante a maneira como o torcedor se conecta ao jogador do que ele está fazendo dentro de campo. Tem jogador que briga por artilharia, mas não tem carisma. Não que a parte esportiva seja secundária, porque você não vai atrair quase nada se estiver em uma má fase absurda", analisa Thiago Barros, que já cuidou das redes sociais do Cafu, Diego Ribas, Robinho, José Aldo e Anderson Varejão e hoje é gerente de conteúdo da Feng Brasil, empresa que administra as redes sociais do Maracanã e do Campeonato Brasileiro.

Para o palestrante e professor de marketing esportivo da ESPM Marcelo Palaia, as redes sociais aumentaram a importância da imagem dos esportistas fora de campo. Os atletas passaram a ser "influenciadores", algo que as empresas buscam no mercado para divulgar seus produtos. E o dinheiro que chega dos patrocinadores pode representar boa parte do salário recebido dos clubes.

"O atleta é a última barreira do fã com o esporte, e as redes sociais aproximaram essa barreira, o fã fica mais próximo do ídolo. As marcas procuram influenciadores de todos os segmentos, como esporte, música e entretenimento. No esporte, o Daniel tem uma força muito grande. Jogou em times importantes, foi titular da seleção por muito tempo... A imagem é muito forte e ele sempre foi visto como uma pessoa autêntica, é marcado por isso", comenta Palaia.

CONSELHEIRO DE PRÊMIO AMBIENTAL - A influência de Daniel Alves chamou a atenção do príncipe William, que convidou o meia do São Paulo para ser membro do conselho do Prêmio Earthshot. O jogador fará parte ao lado da cantora Shakira e de Christiana Figueres, ex-chefe do clima da ONU, responsável pelo histórico Acordo de Clima de Paris.

Lançado pelo príncipe William e pela Fundação Real do Duque e Duquesa de Cambridge, o Earthshot é um prêmio ambiental global de 50 milhões de libras (aproximadamente R$ 364 milhões) para reconhecer as soluções mais inspiradoras para os maiores desafios ambientais do mundo. Serão cinco premiados, de 2021 a 2030.

Daniel Alves também tem usado as redes sociais para divulgar a campanha "Corona no Paredão" da ONG Gerando Falcões, com o objetivo de levar alimentos às famílias que estavam em isolamento social em comunidades carentes. "Essa é a nossa grande oportunidade de melhorar um pouco o nosso país e humanizá-lo um pouco mais", escreveu o meia.

Veja o Top 10 de atletas do futebol brasileiro com mais seguidores no Instagram:
Daniel Alves (São Paulo) - 31,5 milhões
Gabriel Barbosa (Flamengo) - 7,7 milhões
Filipe Luís (Flamengo) - 5,5 milhões
Diego Ribas (Flamengo) - 4,2 milhões
Paolo Guerrero (Internacional) - 4 milhões
Bruno Henrique (Flamengo) - 3,6 milhões
Éverton Ribeiro (Flamengo) - 3 milhões
Arrascaeta (Flamengo) - 2,9 milhões
Felipe Melo (Palmeiras) - 2,8 milhões
Fred (Fluminense) - 2,6 milhões

Confira os elencos dos clubes brasileiros com mais seguidores no Instagram
Flamengo - 46,2 milhões
São Paulo - 39,1 milhões
Palmeiras - 13,7 milhões
Corinthians - 10,9 milhões
Grêmio - 9,4 milhões
Internacional - 9.2 milhões
Fluminense - 7,8 milhões
Vasco - 6,3 milhões
Atlético-MG - 6,2 milhões
Santos - 4,5 milhões

Fonte: Estadão Conteúdo
PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG