02:25hs
Terça Feira, 24 de Maio de 2022

Leia nossas últimas edições

Leia agora o Correio do Papagaio - Edição 1643
Esportes
04/12/2014 08h20

Jogo do Palmeiras terá segurança de Copa do Mundo

O esquema de segurança para a partida de domingo entre Palmeiras e Atlético-PR no Allianz Parque será semelhante ao de um jogo da Copa do Mundo. O Ministério Público, a Polícia Militar e representantes da WTorre e do clube fizeram uma vistoria na arena na quarta-feira para detectar possíveis falhas de segurança e garantir a integridade de todos os torcedores que forem ao jogo.

Após uma inspeção minuciosa no estádio e reuniões sobre o assunto, ficou decidido que, por ser considerado um jogo de altíssimo risco, 500 seguranças estarão na partida, sendo 250 policiais militares e 250 seguranças particulares contratados pelo Palmeiras. Além disso, serão distribuídos na porta do estádio panfletos para conscientizar os torcedores da importância de se comportarem antes, durante e depois da partida.

O sistema de câmeras no estádio, apelidado de "Big Brother" também será utilizado. As modernas câmeras da arena permitem visualizar o comportamento dos torcedores presentes no estádio, inclusive com uma resolução boa o suficiente para ver o rosto deles.

Apesar da preocupação com possíveis atos violentos da torcida em caso de rebaixamento, tanto Palmeiras quanto WTorre sempre quiseram o jogo na arena, porque financeiramente é um bom negócio e os jogadores podem aproveitar o clima para ganhar um novo ânimo, já que, geralmente os palmeirenses contam com apoio das arquibancadas do início do fim.

O problema é que o promotor Paulo Castilho dizia estar preocupado com a possibilidade de atos violentos por causa da dificuldade que os policiais teriam por ainda não conhecerem a fundo o estádio. Na partida contra o Sport foram detectadas algumas falhas sem muita importância de segurança que poderiam ser solucionadas facilmente, mas a relevância da partida de domingo acabou potencializando os riscos. Mas, após muita discussão, o jogo foi mantido na arena.

O promotor também alertou para o fato de a Rua Turiaçu, uma das vias principais de acesso ao estádio, ser muito estreita e dificultar a saída e chegada das delegações e dos torcedores. E falta também que a WTorre entregue para a Polícia o mapa da arena, para que seja montada uma estratégia mais equilibrada e detectados os pontos mais perigosos.

Fonte: Estadão Conteúdo
PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone: (35) 99965-4038
E-mail: comercial@correiodopapagaio.com.br
R. Dr. Olavo Gomes Pinto, 61 - Sala 207 - Centro - São Lourenço - MG