02:01hs
Terça Feira, 24 de Maio de 2022

Leia nossas últimas edições

Leia agora o Correio do Papagaio - Edição 1643
Esportes
17/11/2014 23h10

Palmeiras projeta cofre cheio com a sua nova arena

Desde julho de 2010, o Palmeiras não sabe o que é jogar em casa e esse martírio está muito perto de chegar ao fim. Nesta quarta-feira, o time alviverde volta para uma renovada casa e enfrenta o Sport. Junto com a força de sua torcida, ganhará também um novo fôlego financeiro, já que, além de deixar de pagar aluguel para jogar em outros estádios, terá uma renda muito maior a ser obtida pelas atividades que serão realizadas na arena e pelos ingressos das partidas.

Só no jogo contra o Sport, o Palmeiras deve conseguir algo em torno de R$ 4,5 milhões de renda bruta. Com descontos, o valor líquido vai ficar na casa dos R$ 2,5 milhões, em uma previsão mais centrada. Esses números devem ser parecidos na partida contra o Atlético Paranaense, em 7 de dezembro, na última rodada do Campeonato Brasileiro.

Os valores envolvem apenas a venda de ingressos, item em que o Palmeiras é dono de 100% do arrecadado. O clube ainda vai ganhar 5% do que a WTorre obtiver no dia da partida com a comercialização de alimentação, estacionamento e outras fontes de renda.

Os números são imprecisos, já que, por ser o jogo desta quarta realizado em um local inédito, muita coisa que era gasta anteriormente em partidas no Pacaembu sofrerá mudança substancial para cima e para baixo. Um dos gastos mais elevados, que é o aluguel do estádio, deixará de existir, pois o clube não pagará para atuar na arena. Pelo acordo firmado com a construtora, o Palmeiras só será responsável por bancar os custos tradicionais de uma partida, como taxas de arbitragem e da Federação Paulista de Futebol (FPF) e o policiamento.

No jogo contra o Atlético Mineiro, o último que fez no Pacaembu, o Palmeiras gastou R$ 340.228,60, sendo que só o aluguel do local custou R$ 77.250,00, ou seja, 22,07% do total de gastos.

Nesta segunda, em apenas duas horas foram vendidos os poucos ingressos que sobraram para torcedores "comuns", ou seja, aqueles que não são sócios do clube e do Avanti, programa de sócio-torcedor do Palmeiras. Os preços dos ingressos variaram de R$ 80 a R$ 500.

Existem apenas ingressos para as cadeiras visitantes, que custam R$ 250. O valor, inclusive, causou a reclamação de alguns torcedores do Sport, que gostariam de ver o jogo, mas se assustaram com o preço salgado. No total, são 1.202 lugares para os visitantes e os bilhetes só serão vendidos na hora do jogo. É grande a chance de que muitos palmeirenses acabem comprando no setor.

ESTÁDIO DE SÓCIOS - Uma das vontades do presidente Paulo Nobre é que, em breve, apenas sócios do Avanti consigam comprar ingressos para jogos do Palmeiras. Deve continuar existindo um setor para torcedores "avulsos", mas em um espaço bem pequeno. Alguns clubes brasileiros já adotam essa estratégia, casos de Grêmio e Internacional.

O Palmeiras tem 60.152 sócios-torcedores e é o quinto do País na categoria, atrás de Corinthians (63.574), Cruzeiro (66.208), Grêmio (80.013) e Internacional (125.725). O clube alviverde foi o que mais conquistou sócio-torcedor em 2014, justamente por causa da arena. Foram até o momento 24.546 novas adesões.

Fonte: Estadão Conteúdo
PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone: (35) 99965-4038
E-mail: comercial@correiodopapagaio.com.br
R. Dr. Olavo Gomes Pinto, 61 - Sala 207 - Centro - São Lourenço - MG