06:23hs
Sexta Feira, 15 de Novembro de 2019

Leia nossas últimas edições

Correio do Papagaio - Edição 1390
Correio do Papagaio - Edição 1393
Geral - Noticias
25/06/2019 15h59

Com vitória em GP que “ainda não terminou”, cresce favoritismo de Hamilton para o título da F

Caso seja o campeão desta temporada, chegará ao seu sexto título mundial; Pedido da Ferrari pode alterar resultado da corrida

Tudo parecia que iria mudar. Sebastian Vettel chegou ao limite para tentar segurar a liderança do GP do Canadá. Mas acabou não suportando a pressão de Lewis Hamilton. Ao cometer um erro na freada da curva 4, o alemão forçou a volta à pista, bloqueando a ultrapassagem do rival. Foi punido em cinco segundos e abriu caminho para que o inglês da Mercedes vencesse o GP do Canadá. O piloto da Ferrari precisou se contentar com o segundo lugar em Montreal - e não ficou nada feliz com isso. Foi a quinta vitória de Hamilton na temporada e a 78ª na carreira do pentacampeão mundial, que lidera a temporada e as preferências no mercado de apostas na Fórmula 1.

Vettel ficou extremamente aborrecido com o fato e não participou da tradicional entrevista após a prova. E em um momento inusitado ele até deslocou a placa que marcava a posição do carro vencedor, do carro de Hamilton para o local onde seu carro deveria estar e colocou a placa com o número "2" na frente do carro do britânico. Apesar de tudo, Hamilton convidou seu adversário a subir para o primeiro lugar do pódio. O companheiro de equipe de Vettel, o monegasco Charles Leclerc, ficou em terceiro.

O finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) e o holandês Max Verstappen (Red Bull), menos bem colocados do que estão acostumados no grid, terminaram em 4° e 5°, respectivamente, chegando na frente das Renault do australiano Daniel Ricciardo e do alemão Nico Hülkenberg. O francês Pierre Gasly (Red Bull), o canadense Lance Stroll (Racing Point) e o russo Daniil Kvyat (Toro Rosso) completam o Top 10. Bottas conquistou o ponto de melhor volta da corrida.  A próxima etapa acontece na França, no dia 23, e a expectativa dos torcedores, especialistas e apostadores é grande. No entanto, até lá, a classificação pode mudar.

Ferrari quer a reversão da punição a Vettel

O GP do Canadá ainda não terminou, graças à Ferrari. Sebastian Vettel venceu a prova, mas, punido com o acréscimo de cinco segundos ao seu tempo de corrida, o alemão viu o rival Lewis Hamilton levar o caneco. Agora, a escuderia italiana entrou com o pedido oficial de revisão do lance por parte da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

O pedido tem tudo para não ser aceito, já que de acordo com o código esportivo da FIA, este tipo de decisão não pode ser mudada. No entanto, o artigo 14.1.1 do regulamento esclarece que "se uma nova e relevante evidência for descoberta, e que estava indisponível no momento da competição", a Federação poderá convocar os comissários da prova ou substitutos para reexaminar a questão.

De acordo com especialistas, o mais provável é que a FIA determine que os comissários revejam o incidente durante o próximo fim de semana, no GP da França. A primeira decisão deles será determinar se a nova evidência é ou não aceitável para que o lance seja revisto oficialmente. Se decidirem que sim, então a FIA ouvirá a Ferrari para entender por que a punição a Vettel não foi correta e rediscutir o caso. Do outro lado, Hamilton permanece em posição confortável. Atual campeão mundial da Fórmula 1 e com grandes chances de conquistar o sexto título da carreira, o britânico não sai do páreo nem mesmo se a punição a Vettel for revertida.

Campeão, realizado e motivado, Hamilton quer mais

Lewis Hamilton já pode ser considerado um dos maiores pilotos de todos os tempos. Porém, engana-se quem acha que o britânico, fã fervoroso de Ayrton Senna, não quer mais. Hamilton afirmou recentemente que pode correr em alto nível por pelo menos mais cinco anos, já que tem como objetivo o recorde de sete títulos mundiais de Michael Schumacher. Considerando que o sexto título pode vir já nesta temporada, a meta parece factível.

Em 2018 o piloto da Mercedes garantiu seu quinto título mundial e igualou o feito do argentino Juan Manuel Fangio. Agora ambos estão dois campeonatos atrás do lendário Michael Schumacher. Hamilton venceu quatro dos últimos cinco títulos. Em 2016, o título ficou com Nico Rosberg. Apesar da evidente qualidade do piloto, à época, o título foi considerado uma zebra entre os grandes nomes do esporte.

Lewis Hamilton não mostrou sinais de desistir nesta temporada enquanto lidera a disputa do campeonato. Após uma corrida impressionante em Mônaco e o golpe de sorte que lhe deu o topo do pódio no Canadá, é difícil apostar contra a conquista do sexto título do britânico. 

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG