03:13hs
Sexta Feira, 22 de Setembro de 2017

Leia nossas últimas edições

Correio do Papagaio - Edição 1028
Correio do Papagaio - Edição 1027
Internacional
20/08/2017 10h24

EUA e Seul começam exercício militar e devem irritar Coreia do Norte

Seul, 20 (AE) - Um novo ciclo de escalada nas tensões deve começar nesta semana na Península Coreana, já que os Estados Unidos e a Coreia do Sul iniciam nesta segunda-feira seus exercícios militares anuais, que têm um histórico de enfurecer o regime norte-coreano.

Planejados há tempos, os exercícios ocorrem em um momento delicado, após semanas de retórica beligerante entre Washington e Pyongyang que gerou o temor de uma catástrofe. No que muitos viram como uma redução nas tensões na última semana, o ditador Kim Jong Un disse que iria conter seus planos por ora, antes de decidir se leva adiante uma ameaça de disparar mísseis na direção do território americano de Guam, no Pacífico.

Os exercícios militares devem durar dez dias, entre 21 e 31 de agosto, e serão um teste sobre o comportamento da Coreia do Norte. Autoridades americanas dizem que a operação tem como objetivo garantir a prontidão ante um possível ataque norte-coreano. Pyongyang, porém, a caracteriza como o preparo para uma invasão.

Os exercícios envolvem cerca de 17.500 militares americanos, entre eles cerca de 3 mil que atuam fora da Península Coreana. Importantes unidades das Forças Armadas sul-coreanas também participam, junto com forças de sete países, entre eles Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Reino Unido.

As manobras militares devem ser similares em escala às do ano passado, segundo Seul. Ainda assim, analistas esperam que a Coreia do Norte reaja duramente, particularmente se os EUA enviarem, por exemplo, porta-aviões ou bombardeiros B-1B. No ano passado, Pyongyang realizou seus quinto teste nuclear após os exercícios militares sul-coreanos e americanos.

A China, principal aliado da Coreia do Norte, tem pedido que não se realizem mais esses exercícios militares anuais.

A tensão geopolítica aumentou nas últimas semanas, após em julho a Coreia do Norte testar seus primeiros mísseis balísticos intercontinentais. Em resposta, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas impôs novas sanções contra Pyongyang.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez ameaças, respondidas de maneira igualmente dura pelo regime norte-coreano. Segundo o analista Chun Yung-woo, do centro de estudos Peninsula Future Forum, a Coreia do Norte deve considerar os exercícios militares como mais ameaçadores que a retórica belicosa de Trump. "Kim Jong Un não acredita que Trump fale sério quando comenta sobre a opção militar", afirmou Chun, ex-negociador nuclear da Coreia do Sul. "A Coreia do Norte julgará as intenções dos EUA pelas suas ações, não por palavras vazias." Fonte: Dow Jones Newswires.

Fonte: Estadão Conteúdo
Últimas Notícias
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Dr. Olavo Gomes Pinto, 61/207 - Centro - São Lourenço - MG