19:03hs
Terça Feira, 25 de Junho de 2019

Leia nossas últimas edições

Correio do Papagaio - Edição 1342
Correio do Papagaio - Edição 1356
Opinião
17/08/2018 12h43

A FORÇA ESTÁ NO EXEMPLO

Por Andrea Cassone

Morpheu diz: “Você precisa entender que a maior parte das pessoas não está pronta para acordar. E muitos estão tão inertes, tão dependentes do sistema, que vão lutar para protegê-lo.” The Matrix

Vivemos por décadas, uma profunda imersão na Matrix. Eu disse vivemos, porque acredito que muitas pessoas estejam despertando desse sonho ou pesadelo coletivo que são as regras ditadas pela sociedade capitalista. Mas, para quem ainda nem parou pra pensar o que vem a ser a Matrix, aqui vai a oportunidade de observá-la e tentar escapar do seu domínio total. Acreditem, podemos viver na Matrix, mas não participar dela.

Conversa de louco? Não, conversa de quem quer sobreviver a todas as calamidades, maldades, desigualdades, depressões e descasos da atualidade.

Matrix é uma criação da terceira dimensão, no caso a vida que expressamos no Planeta Terra. Podemos dizer que se trata de uma ilusão, uma falsa realidade, uma projeção de nossos sentidos, nos levando a acreditar apenas em nossas percepções. Aquilo que vemos, pode não ser exatamente como vemos. Já parou pra pensar nisso? Interpretamos as pessoas e os movimentos da vida de acordo com nossos sentidos, não somos capazes de captar a experiência dos outros, mas através da atitude das outras pessoas, vamos formulando conceitos internos. Matrix é o sistema de crenças coletivas que vai nos levando a determinados comportamentos, padrões, independente se gostamos ou não e na maioria das vezes não gostamos, mas agimos como a sociedade espera. Esse movimento de viver no automático nos leva a vivenciar a depressão, o estresse, a solidão, os abusos de substâncias, medicamentos, enfim.

Querem entender a força da Matrix?

Muito bem, vivemos hoje uma supervalorização dos pets, ou seja, dos animais de estimação. Existem ONGS de proteção aos animais (cães e gatos), existem abaixo-assinados para a proibição de fogos de artifício, pois esses trazem sofrimentos aos cachorros, enfim, a Matrix nos dita quais animais devemos proteger e quais animais podemos ingerir. Não parece irracional uma pessoa amar e proteger cães e gatos e se alimentar de vaca, frango e peixe? A Matrix nos cega para a realidade das coisas, pois todos os animais tem os mesmos direitos como criação de Deus, os mais dóceis tem mais privilégios? Quem determina a sorte de uma espécie ou de outra? Mas as crenças nos alienam e nos fazem lutar por determinadas normas, sem refletirmos sobre elas.

Bem, esse foi apenas um exemplo, sem querer me aprofundar mais, pois a problemática dos animais gera uma longa reflexão, que não é o foco.

Entendendo o que é Matrix e a quais comportamentos ela nos submete, volto ao tema central que é a força do exemplo e o impacto na educação.

Se vivemos imersos na Matrix, significa viver no modo automático, ou seja, deixa a vida me levar...

Com esse comportamento vivemos à mercê dos acontecimentos da vida, pouco fazemos de concreto, pouco atuamos com empoderamento, pouco compreendemos o livre-arbítrio e vivemos todas as angustias do mundo. Até aí tudo bem, o problema é de cada um, só que como ficam os nossos filhos? Nós temos a escolha que quisermos, mas quando somos pais ou professores a responsabilidade aumenta e viver às cegas traz consequências limitadoras.

Como pais devemos em respeito aos nossos filhos sair do coma de crenças e começar a enxergar a vida como ela é e não como achamos que seja.

Voltando a afirmar que enxergamos o mundo de acordo com nossos sentidos, por isso as experiências são únicas, e aí reside uma linda particularidade da vida, quanto mais tivermos  conhecimento, mais flexibilidade, menos crenças e paradigmas limitantes, mais temos repertório para lidar com as situações da vida e menos a Matrix nos leva à cegueira. Nesse sentido percebemos o quanto a educação nos liberta. Não podemos oferecer aos filhos e alunos as nossas limitações e ignorâncias, temos a responsabilidade de expressar o melhor de nós, libertando-os de nossas próprias crenças.

O ser humano aprende apenas pelo exemplo, estejam certos disso. Podemos nos mostrar de um jeito, mas no processo de educação, o exemplo é o que conta.

Aquele velho ditado: faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço é pura mentira, pois as crianças captam exatamente o que a gente faz, não adianta falar bonito.

Quer formar seres humanos íntegros? Seja íntegro.

Quer formar seres humanos amorosos? Seja amoroso.

Não tem escapatória, a força está no exemplo, então se não for para nós, que possamos fazer para nossos filhos ou alunos, para que as futuras gerações vivam além da Matrix e possam ser realmente felizes e projetarem um mundo mais justo e equilibrado!

 

 

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG