10:34hs
Sábado, 06 de Junho de 2020

Leia nossas últimas edições

Correio do Papagaio - Edição 1439
Correio do Papagaio - Edição 1445
Opinião
07/11/2017 14h32

Nossa Gente, Nosso Orgulho

Por Teresinha Maria Silveira Villela

Edna Macedo de Souza Neves

Valença foi a Cidade que a viu nascer e o alvorecer de seu talento. Com apenas 10 anos conquistou o 1º lugar no Concurso de Canto. Aplaudida de pé, por seleta platéia do Cinema Glória, recebeu merecidamente o prêmio das mãos do consagrado cantor Carlos Galhardo.
Aos 12 anos, já em São Lourenço, cantou e encantou no palco do saudoso Cine Odeon. A partir de então o “Rouxinol” não parou mais de cantar; pois durante 30 anos foi recitalista de Canto Lírico. Os aplausos foram uma constante em sua vida.
Sua história é a nossa história, apesar se ter nascido no Rio de Janeiro, onde passou parte da infância. Seus pais, professor Mário Pinto de Souza Neves e Noemi Macedo de Souza Neves, mudaram-se para São Lourenço. Aqui seu pai conduziria o rebanho da Igreja Presbiteriana, além de, com o seu vasto conhecimento, ministrar as aulas de Contabilidade no Colégio Comercial de São Lourenço. O Professor Mário Neves trouxe para o nosso convívio uma família unida, espiritualizada, íntegra, cujas inteligências dignificaram nossa sociedade. D. Noemi era a doçura, a suavidade. A mulher forte, a educadora querida e respeitada.
Edna foi aluna brilhante do Ginásio de São Lourenço e da Escola Técnica de Comércio de São Lourenço. Jamais deixou um trabalho sem fazer apesar dos estudos de piano lhe consumirem horas e horas de estudo. O piano era seu amigo, o seu confidente, o depositário de seus sonhos de adolescente.
Foram anos de sacrifícios, de renúncias, de longas viagens desconfortáveis, de cansaço, de noites mal dormidas de dias difíceis...Um dia surge o esperado Diploma! Mas a alma inquieta da artista incomum, não podia parar. Queria muito mais! Matricula-se no curso de Canto Lírico.
Para interpretar grandes áreas haveria necessidade de dominar o alemão, italiano, e francês e muito bem o português. Em breve Edna é recitalista de Canto, pelo Conservatório Brasileiro de Música.
Sua Tese, muito apreciada foi: “Técnica Vocal”.
Volta a estudar... Entre títulos e honrarias selecionei alguns que muito tem a ver com este momento.
Durante toda sua vida Edna colecionou comendas de relevância! Impossível classificá-las em valor! Cada etapa marcou sua vida qual um sonho realizado, coroado de esforço, tenacidade e talento. O conjunto é a história de sua vida.
Edna é “Membro Honorário da Sociedade Brasileira de Eubiose” desde 1991. Recebeu a Comenda: Ordem da Ametista de Saint Germain em 1983.
A Escola Estadual Professor Mário Junqueira Ferraz conferiu-lhe o Certificado de Honra ao Mérito como regente do Coral do Cinquentenário em 1985.
Neste mesmo ano foi a Melhor Debatedora do Congresso Brasileiro de Cinema Nacional, título conferido pelas Faculdades Integradas “Augusto Motta” RJ e recebeu a Comenda “João Ramalho”, da Câmara de Vereadores de São Paulo.
Recebeu da Academia de Letras e Ciências de São Lourenço as seguintes condecorações:
- Mérito Musical 1990
- Mérito Administrativo e Personalidade Musical do Ano
- Comenda da Solidariedade - 1991
- Comenda do Mérito Comunitário - 1996
- Regente do Coral Nota 10
E uma infinidade de outros troféus, frutos de sua sensibilidade, estudo e dedicação. Especializou-se em Pedagogia Musical, História da Música, História da Arte, Harmonia, Morfologia, Dicção, Declamação Lírica, Ritmo e Som, canto Coral e Correção de Voz - Regência.
Participou de eventos importantes como recitais representando o Conservatório Brasileiro de Música. Entre 150 candidatas foi escolhida para integrar a Hora de Arte, nos festejos de sua formatura de Canto. Ali, no luxuoso Teatro Municipal do Rio de Janeiro, foi aplaudida de pé pela platéia, inclusive pelo paraninfo o grande Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira. Esta grande emoção certamente ainda perdura em seu coração. O sucesso não parou. Foi sua a honra de 1º lugar no Concurso de Dicção em Línguas, realizado pelo Conservatório Brasileiro de Música em 1956.
Em 1963 o Conservatório Brasileiro de Música e o Conservatório de Paris, por um convênio Cultural, escolhem Edna de Souza Neves para interpretar as obras de Lorenzo Fernandes, Schubert e Alberto Nepomuceno, ilustrando a Conferência da Professora Dulce Martins Lamas no Rio de Janeiro. Representou o Conservatório Brasileiro de Música, como recitalista, nos Convênios Culturais entre as Embaixadas da França, Itália, Alemanha e Índia, depois de concorrer com 60 candidatas de nível superior. Foi a 1ª colocada no Concurso de Canto “Antonieta de Souza” 1962.
E muitos, muitos
outros...
A Câmara Municipal de São Lourenço, imbuída de sabedoria e ciente de seu trabalho, quis regularizar sua “certidão emotiva” de nascimento e tornou-a Sãolourenciana, nossa irmã, como certamente ela já se sentia, por opção e de coração. Foi agraciada também com a “Comenda Henrique Fernandes Ensá”, nome que a dignifica por seu exemplo de vida e de trabalho. Sr. Henrique foi o grande incentivador de sua arte; foi o amigo de todas as horas, hoje reverenciado em nossa saudade.
Edna foi Presidente da Casa da Cultura de São Lourenço nas gestões Helmar Junqueira Vilela e Tenório Cavalcanti Freitas Lima. Desenvolveu um trabalho sério de resgate da História de São Lourenço, através de palestras e homenagens. Conseguiu fotografias que vieram aumentar o acervo “Synésio Fagundes”, propôs concursos e promoveu horas de artes e tombamentos. Jamais recebeu dos cofres públicos, qualquer remuneração.
Em sua gestão convidou profissionais de diversas áreas culturais para ocupar a presidência dos departamentos da Casa da Cultura:
- Departamento de Patrimônio - “Cel. Manoel Dias Ferraz”, presidente Dr. Álvaro Ribeiro de Almeida;
- Departamento de Ciências - “Jonas Pereira Maduro”, presidente Drª. Alitta G. R. R. da Silva;
- Departamento de Comunicação - “Arthur G. de Souza”, presidente Suraya Ganan;
- Departamento de Artes Plásticas - “Benigno Ribeiro”, presidente Aparecida Monteiro;
- Departamento de Ginástica e Dança - “Ana Botafogo”, presidente Deise Dutra Marques;
- Departamento de Música Erudita - “W. A. Mozart”, presidente Edna de Souza Neves;
- Departamento de Música Popular - “Milton Nascimento”, presidente Adilson da Cruz;
- Departamento de Literatura - “Érico Veríssimo”, presidente Clélia Rosa de Lima;
- Departamento de Folclore - “Professora Dulce Lamas”, presidente Isac Ribeiro;
- Departamento de Artes Cênicas - “Fernanda Montenegro”, presidente Aurélio Guimarães 1989-1991, Eugênio Pacelli 1992;
- Departamento de Educação - “Dr.Antonio Magalhães Alves, presidente Cássia Maria Junqueira de Souza”;
- Departamento de Artesanato - Presidente Aurélio Guimarães;
- Departamento de Artes Plásticas no mês de junho o salão de exposições Dr. Saturnino da Veiga, com premiações oferecidas pela Sociedade Brasileira de Eubiose.
Edna foi arqueóloga do tempo! Fez reviver os vultos do passado, mostrou com toda sensibilidade o valor de cada um, colocou-os no pedestal que mereciam e se sentiu realizada. Ao deixar a Presidência da Casa da Cultura, continuou a fazer o que mais gosta: Ministrar aulas de canto, piano e montar um Coral Lírico que é o orgulho de São Lourenço. Edna é uma pessoa culta, educada, gentil e muito querida.

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG