08:32hs
Sexta Feira, 23 de Agosto de 2019
Pouso Alto - Notícias
08/01/2013 15h52

Padeiro morre após ter veia de varize estourada em Itanhandu, MG

Homem morreu após tentar chegar sozinho ao hospital.


Um padeiro de 57 anos morreu na madrugada desta terça-feira (8) em Itanhandu (MG) por problemas decorrentes de varizes. Segundo a Polícia Militar, José Walter Nogueira passou mal quando ia para o trabalho e uma veia estourou. O padeiro ainda tentou chegar até a Santa Casa da cidade sozinho, mas como perdeu muito sangue, morreu ainda na rua. A distância do local onde ele havia caído até o hospital é de três quilômetros.

Segundo a Polícia Militar, ele foi encontrado por populares próximo à Igreja Matriz, na Rua Olavo Gomes Pinto, em um local também conhecido como Calçadão da Rua 7.  Quem passava pelo local acionou os militares e a ambulância da Santa Casa. Os médicos do hospital constaram o óbito e a perícia da Polícia Civil de São Lourenço fez a remoção do corpo para o IML.

O padeiro é da cidade de Pouso Alto (MG) e ainda não há informações sobre o horário do sepultamento. O médico legista que constatou o óbito foi procurado, mas não foi localizado.

Sobre as varizes

Um vizinho do padeiro disse à PM que ele já fazia tratamento para varizes e que estava, inclusive, com uma cirurgia agendada.  O médico legista que constatou o óbito foi procurado, mas até a publicação desta nota não foi localizado.

As varizes são veias dilatadas e tortuosas.  O presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, Calógero Preste informa que existem casos de morte, inclusive quando as vítimas estão dormindo e podem coçar o local onde há a varize, o que faz com que ela estoure e sangre até causar a morte.

Um médico angiologista, que trata de varizes também foi consultado sobre o caso. De acordo com Luís Cunha, não é comum uma varize estourar, mas é possível que isso aconteça. Ainda segundo o médico, são raros os casos que o sangramento é intenso a ponto de provocar um choque hemorrágico e a pessoa morrer. Ele acredita que o caso registrado em Itanhandu tenha sido uma fatalidade. “Por ter acontecido pela madrugada, ele caiu e não conseguiu socorro ou acionar um atendimento médico, o que causou a morte”, disse.

O angiologista orienta ainda que caso uma varize estoure e não haja ninguém por perto que possa acionar atendimento médico, a pessoa deve deitar-se com as pernas para cima e comprimir o local por 20 minutos para que o sangramento pare.

Segundo Luís Cunha, a incidência de varizes é quatro vezes mais frequente em mulheres do que em homens por conta dos hormônios.


Fonte G1

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG