18:16hs
Sábado, 15 de Junho de 2019
São Lourenço - Notícias
09/06/2010 09h42

Cavaleiros de Maria realizam romaria a Aparecida

Cavaleiros de Maria realizam romaria a Aparecida

 

Sessenta e quatro cavaleiros e amazonas participaram da tradicional cavalgada ao santuário nacional de Aparecida (SP), de 20 a 23 de maio, este ano, comemorando os 25 anos da Companhia Cavaleiros de Maria. A concentração começou cedo, no bairro Estação. Em seguida, por volta das 09h, animados por um trio elétrico, os cavaleiros percorreram algumas das principais ruas da cidade e partiram rumo à Dom Viçoso.
A iniciativa é um sinônimo expressivo de espírito de grupo, fé, devoção e, principalmente, paixão por cavalos. A comitiva é uma soma de contrastes que ajudam a fazer a história. Cada um, a seu modo, com seu jeito e sua realidade, contribui para perpetuar a tradição. A participação envolve crianças, jovens, adultos, homens e mulheres de todas as classes sociais, sob um mesmo objetivo: chegar à casa da Mãe Aparecida. Talvez para pagar uma promessa, suplicar uma graça, ou simplesmente agradecer pelo simples fato de poder participar da romaria... Não importa o motivo. O importante é que, durante praticamente quatro dias, 64 pessoas compartilham a mesma realidade: enfrentar o pó da estrada de terra, o sol, o cansaço, as dificuldades naturais do trajeto para, ao final, poder adentrar o santuário nacional e se apresentar aos pés da Virgem Maria. Pessoas como a jovem Ana Cláudia, de apenas 10 anos, e que participa da cavalgada desde os 4 anos. Pessoas como o experiente senhor José Vitor, que há 50 anos participa de romarias à cavalo.
Segundo Nelson Roque (Nelson Charreteiro), há sete anos na presidência da Companhia e coordenador da romaria, a cavalgada à Aparecida é uma tradição existente há mais de quatro décadas. “O movimento foi criado por antigos charreteiros, como o sr. Badalinho, Paulo Carneiro, João Canducha, dentre outros. Atualmente ele é coordenado por proprietários e alugadores de cavalos, e vem, a cada ano, crescendo e ganhando novos participantes” – comenta Nelson.

Trajetória de fé


Por dia, a comitiva cavalga aproximadamente 50 quilômetros. Para garantir a todos os participantes segurança e evitar imprevistos, uma equipe de apoio formada por enfermeiros e soldados do Corpo de Bombeiros acompanha os cavaleiros durante todo o trajeto, desde São Lourenço até Aparecida.
Após a saída, na quinta-feira, a primeira parada acontece em Dom Viçoso. Em local previamente preparado, após o desarreio e encaminhamento dos animais a um pasto próprio, uma equipe serve o almoço aos cavaleiros, que também passam por exames de medição de pressão arterial pela equipe de apoio médico. Após o almoço e um breve descanso, os animais são arreiados e a comitiva segue estrada rumo ao vilarejo de Rio Claro, onde é servida a janta e celebrada uma missa. Os cavaleiros dormem na própria igreja.
No dia seguinte, após o café da manhã, a comitiva segue para Delfim Moreira onde é feita a parada para o almoço. Em seguida, o trajeto é rumo a Piquete, para o encerramento de mais um dia.
No outro dia, pela manhã, a romaria segue para Aparecida, onde chega no final da tarde. No pátio da basílica, os animais são desarreiados e acomodados em caminhões apropriados para o retorno a São Lourenço. Os cavaleiros pernoitam na cidade e, no domingo, participam da missa principal, às 10h da manhã. Após a missa, retornam para São Lourenço em ônibus fretado.
Segundo Nelson, tanto sacrifício e esforço justifica-se na fé. “A fé está acima de tudo. Quando o cavaleiro ou amazona se dispõe participar desse evento, ele deixa seu trabalho, muitas vezes a família, indo em busca de uma promessa, um milagre, ele coloca em primeiro lugar a fé. A fé em Deus, acima de tudo, e em Nossa Senhora Aparecida” – destaca.
Para quem deseja, ano que vem, participar da romaria, Nelson dá algumas dicas – como praticar pequenos passeios e, aos poucos, ir aumentando o percurso.
A Cia. Cavaleiros de Maria e a organização da romaria agradecem a todos os colaboradores: Sgt BM Anderson, representante do Corpo de Bombeiros; Andréia, enfermeira da Funsaúde, que há mais de 10 anos acompanha a romaria; Pneusul, Ferraz Serralheria, Doces Ué, Gomes Supermercados, Mec Papelaria, Neo Comunicação Visual, malharia Porão, Imagem Serigrafia, e Maninho Artesanato.

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG