13:11hs
Quinta Feira, 20 de Junho de 2019
São Lourenço - Notícias
09/06/2010 09h12

Movimento Levanta São Lourenço Confira a terceira e última parte da cobertura exclusiva do Jornal Correio do Papagaio

Movimento Levanta São Lourenço - Confira a terceira e última parte da cobertura exclusiva do Jornal Correio do Papagaio

Na última edição, publicada no dia 29 de abril passado, o Jornal Correio do Papagaio trouxe, com exclusividade, a segunda parte da cobertura da reunião entre representantes da atual administração do município de São Lourenço e integrantes do movimento Levanta São Lourenço. Veja nesta edição a terceira e última parte desta série de reportagens, com os assuntos ligados ao SAAE, semáforos, fábricas e   animais e mendigos nas ruas.

Mau funcionamento do Saae

De acordo com integrantes da comunidade sãolourenciana, o Saae é hoje uma autarquia municipal que não atende devidamente à população da cidade, pois há falta de água em vários pontos, enquanto a conta é emitida até antes mesmo do fornecimento e o faturamento da entidade seria considerável.
No entanto, Zé Neto discorda desta última afirmação, informando que o faturamento do Saae é baixo e que os valores de seus serviços são também mais baixos que os da Copasa, a qual abrange grande parte dos municípios do estado. “O Saae faz um verdadeiro milagre com 88 funcionários e por manter um serviço de qualidade com esse preço. Agora, os problemas em bairros da cidade são específicos. O Jardim Santa Maria precisa de obras, investimentos, mas não há dinheiro porque as contas não são suficientes para pagar. O mesmo acontece com as Casas Populares. Mas toda essa questão já está no planejamento de obras deste ano. Acreditamos que parte dos problemas serão resolvidos este ano e outra parte em 2011”, informou.

Semáforos desativados
    
Um grande número de cidadãos questiona porque o semáforo instalado na D. Pedro II foi desativado e não voltou a entrar em funcionamento até hoje. O prefeito lembrou que o semáforo foi tanto instalado quanto desativado ainda no governo de Tenório Cavalcanti. Toda a equipe da atual administração foi consensual em afirmar que a desativação foi correta, por questão de segurança, e motivada pelo mau planejamento de seu funcionamento. “Todos se lembram que, quando o semáforo foi instalado, o trânsito naquela área ficou caótico. Nos primeiros dias já havia congestionamento, sendo que, certa vez, fiquei um bom período parado em frente aos Correios da avenida, enquanto que o semáforo fica lá no posto”, relata o secretário municipal de governo Ten. Cel. Deusdete dos Santos.
De acordo com o secretário de Fazenda Julio Cesar Sacramento, “a empresa que instalou os semáforos propôs também a desativação dos mesmos e não foi capaz de propor um novo sistema que pudesse funcionar. Então, ela mesma reconheceu a falha”.
Desse modo, Zé Neto informou que uma equipe reestudou e apresentou novo projeto, e que ficou decidido que o equipamento não seria devolvido e sim, reaproveitado. “A equipe de trânsito que ganhou a licitação vai naturalmente usar uma, duas peças naquele local, de acordo com a necessidade, e destinar as demais para outra área”, contou o prefeito.

Fábricas na cidade

Moradores perguntam por que fábricas não são instaladas em São Lourenço, o que geraria emprego e traria desenvolvimento para a cidade. Alguns citam que elas estariam proibidas de se instalar em nosso município. “Ninguém pode proibir nada. Buscamos trazer algumas fábricas, mas até agora não conseguimos atrair alguma. Isso ocorre por falta de distrito industrial, que exige alto investimento e, como já foi dito, não temos dinheiro para isso no momento; e por falta de interesse no eixo da Fernão Dias, que é por onde escorre a produção do estado e onde existem parques industriais em Três Corações e Varginha”, informou Zé Neto.
No entanto, o prefeito ressaltou que o município está trabalhando com possibilidade de trazer três indústrias para cá. “Uma empresa de 50 empregos do ramo de alimentos, mais especificamente de chocolates; uma de louça sanitária, com 45 novos empregos; e uma montadora de aeronaves agrícolas, que utilizaria o espaço do aeroporto. Foram as únicas três que demonstraram interesse, pois a vocação da cidade é mesmo o turismo, a ecologia”, lembrou Zé Neto.

Animais e mendigos nas ruas

É notável a quantidade de animais soltos, principalmente cachorros e cavalos, além de andantes e mendigos nas ruas de São Lourenço, o que pode ser prejudicial para uma cidade turística como a nossa. Com relação aos animais, a equipe da administração afirmou que o canil existente na cidade é de propriedade particular e que, mesmo que conte com o apoio da prefeitura, não é de responsabilidade dela. “O que nos cabe, através da vigilância sanitária, é coletar os animais que estão nas ruas. Para isso, conseguimos uma verba de R$ 250 mil, que deverá ser investido ainda este ano, de modo que os cachorros, gatos, sejam levados para um local apropriado em que eles sejam tratados com dignidade”, informou o prefeito.

O chefe do departamento de fiscalização Paulo Fernando Oliveira Dias relatou ainda que a equipe da vigilância sanitária sai pela madrugada fazendo a captura de animais e encaminha-os para o canil, que, no entanto, não tem capacidade para receber um maior número. Outro problema apontado pelo prefeito Zé Neto é que, muitas vezes, kombis oriundas de outros municípios são flagrados soltando animais em São Lourenço, aumentando o número deles nas ruas.

Desse modo, Zé Neto apresentou medidas que serão tomadas a respeito do assunto. “Uma lei será encaminhada para a Câmara para que possamos ter um instrumento de controle dessa situação. Vamos poder cobrar das pessoas que não simplesmente joguem os filhotes nas ruas. Além disso, estamos buscando uma parceria com a faculdade de Itajubá para que o aluno venha e façam a castração dos animais”, anunciou o chefe do Executivo.

Outras ações, que já vêm sendo feitas, foram destacadas por Paulo Fernando. “Conseguimos aumentar a fiscalização e o número de apreensões de animais. Hoje, os proprietários dos bichos apreendidos têm que pagar uma taxa para que eles sejam liberados, o que contribui para que os donos os mantenham presos. Também temos um funcionário que fica de plantão 24 horas por dia para receber denúncias e fazer apreensão de cavalos, vacas. É só ligar no (35) 8846-0470”, alertou o chefe do departamento de fiscalização.

Já quanto aos andantes e mendigos, os representantes da prefeitura afirmaram que também já viram veículos de outras cidades os deixando em São Lourenço. Segundo os integrantes da equipe, muitos deles relatam que vêm para cá com expectativas e referências pelo fato do município ter caráter turístico. “Não podemos negar também que muitos dos mendigos são cidadãos de São Lourenço mesmo, que a família não quer ter em casa. Todos eles são seres humanos, com direitos constitucionais, e nenhum deles será mal tratado em meu governo. Damos assistência dentro das possibilidades, com encaminhamento a albergue durante a noite, por exemplo”, citou Zé Neto.

Essas foram as principais reclamações encaminhadas pela população à administração Zé Neto através dos representantes do movimento Levanta São Lourenço. A equipe do atual governo deu suas versões e explicações sobre as questões. No entanto, continue atento às coberturas do Jornal Correio do Papagaio, de modo que possa tirar suas próprias conclusões, elogiar o que tem que ser elogiado, e criticar e cobrar o que tem quer criticado e cobrado.

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG