14:35hs
Terça Feira, 04 de Agosto de 2020
São Lourenço - Notícias
05/06/2020 12h22

Pequenos comerciantes voltam para as ruas pelo direito de abrir os estabelecimentos

Foi a terceira manifestação que fizerem pelo direito de trabalhar com segurança

Pequenos comerciantes independentes de São Lourenço voltaram para as ruas nesta sexta-feira, 20, para pedir a reabertura dos estabelecimentos ainda não contemplados pelas ondas do programa Minas Consciente. As manifestações ocorreram no período da manhã e tarde na Praça Brasil, centro da cidade.

Essa foi a terceira manifestação dos comerciantes que pedem à prefeitura a reabertura controlada dos setores ainda fechados para evitar a disseminação do novo coronavírus, o Covid-19, na cidade.

Na manifestação pacífica desta sexta-feira, eles saíram em carreata pelas principais ruas da cidade, onde estão localizadas as principais zonas comerciais. A carreata foi escoltada por viaturas da Polícia Militar de Minas Gerais.

De acordo com o empresário Eliasar Eduardo, um dos líderes do movimento de pequenos empresários independentes, mais uma vez está chegando o começo de mês e as lojas continuam fechadas.

“Vemos que as pessoas não estão entendo que essas liberações da prefeitura são para inglês ver. Não conseguimos entender a finalidade disso. Dia 5 temos que pagar o aluguel. No quinto dia útil temos os salários, impostos, telefone, internet, energia, contador... Tudo isso estamos pagando ou ficando inadimplente. Nosso fluxo de caixa foi quebrado e não temos mais dinheiro. Se existem formas seguras de atendimento, por que elas não podem ser aplicadas no nosso comércio também?”, questionou Eliasar.

Onda Branca

O decreto municipal de número 7.858, publicado nesta quinta-feira, liberou o funcionamento dos estabelecimentos da cidade pertencente a Onda Branca, do programa Minas Consciente. Estão autorizados a funcionar o comércio varejista de antiguidades e varejista de objetos de arte, artigos esportivos, brinquedos e artigos recreativos (vedado o comércio de vestuários), equipamentos para escritório, móveis colchoaria (vedado o comércio de eletrodomésticos, eletrônicos, entre outros), formação de condutores e cursos de pilotagem.

Mesmo com a liberação de alguns segmentos constantes na Onda Branca, muitos ainda permanecem fechados, a exemplo das lojas de roupas e calçados, academias, salões de beleza e barbearia, entre outros.

Outros manifestos

A primeira manifestação ocorreu no último dia 7 em frente a Secretaria de Educação do município, para onde a reunião do Comitê Municipal de Enfrentamento ao Covid-19 teria sido transferida devido a presença dos manifestantes no Paço Municipal.

A segunda vez que os manifestantes se reuniram, fizeram uma passeata saindo da Praça Brasil até o Paço Municipal. Eles protocolaram um documento na prefeitura e pediram para serem atendidos pela chefe do executivo, o que não aconteceu até o momento.

Uma outra manifestação online foi realizada na quinta-feira, 21, durante uma transmissão ao vivo sobre o Covid-19 e dengue realizada pela prefeita, secretário de Saúde e o médico coordenador da epidemiologia na página oficial da prefeitura no Facebook. Durante a reunião virtual, eles pediram pela abertura do comércio nos comentários dos vídeos, porém os dizeres, não ofensivos, foram apagados pelos administradores da página.

Até o fechamento desta matéria, a Prefeitura de São Lourenço não respondeu se iria comentar o ato dos comerciantes.

Fonte: SL Atual

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG