22:28hs
Domigo, 19 de Novembro de 2017
São Lourenço
17/10/2017 09h36

Roda de Capoeira no Calçadão atrai convidados ilustres

Integrantes de Tribo Indígena se unem a roda, fortalecendo os laços culturais

Os escravos utilizaram o ritmo e os movimentos de suas danças africanas, adaptando a um tipo de luta. Surgia assim a capoeira, uma arte marcial disfarçada de dança. Foi um instrumento importante da resistência cultural e física dos escravos brasileiros e tinha como funções principais à manutenção da cultura, o alívio do estresse do trabalho e a manutenção da saúde física.
Até o ano de 1930, a prática da capoeira ficou proibida no Brasil, pois era vista como uma prática violenta e subversiva. A polícia recebia orientações para prender os capoeiristas que praticavam esta luta. Em 1930, um importante capoeirista brasileiro, mestre Bimba, apresentou a luta para o então presidente Getúlio Vargas. O presidente gostou tanto desta arte que a transformou em esporte nacional brasileiro.
Em 26 de novembro de 2014, a UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura), declarou a roda de capoeira como sendo um patrimônio imaterial da humanidade. De acordo com a organização, a capoeira representa a luta e resistência dos negros brasileiros contra a escravidão durante os períodos colonial e imperial de nossa história.
Em nosso município o grupo da Capoeira do Projeto Crer-Ser trás esse resgate. No ultimo final de semana, o grupo fez apresentações durante o Festival de Areia.
Com uma roda no Calçadão que atraiu moradores, turistas e até os representantes da Tribo Indígena que visitavam nossa cidade. Todos envolvidos ao som do berimbau, atabaques e palmas de mão, demonstrando muito talento e simpatia


SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG