07:55hs
Quarta Feira, 18 de Maio de 2022

Leia nossas últimas edições

Leia agora o Correio do Papagaio - Edição 1643
Sindijori
06/09/2019 09h55

COLUNA MG - Rede de Notícias do Sindijori MG - 06/09/2019

Mulheres ganham mais espaço no Norte

Mulheres ganham mais espaço no Norte

Dados de pesquisa divulgados pelo Observatório do Trabalho do Norte de Minas (OTNM), órgão vinculado à Unimontes, confirmam que por três meses consecutivos neste ano (maio, junho e julho), Montes Claros estáentre poucas cidades de Minas Gerais a ter saldo positivo no mercado de trabalho. Segundo o OTNM, no período avaliado foram feitas 2.581 admissões contra 2.557 desligamentos. Outro dado importante mostra que, durante o período de um ano, foi observada a substituição de trabalhadores com mais de 30 anos por pessoas mais jovens, mas que passaram a receber remuneração menor. As firmas que mais contrataram foram as microempresas - com perfil de até quatro empregados. (Gazeta Norte Mineira- Montes Claros)

Projeto prioriza o produtor rural

A Câmara de Vereadores de Divinópolis aprovou Projeto de Lei, de autoria do vereador Nego do Buriti, que prioriza a participação dos produtores rurais e orgânicos do Município de Divinópolis em eventos organizados, patrocinados ou apoiados pelo Poder Executivo. A proposta foi aprovada por 13 votos favoráveis e segue agora para análise do prefeito Galileu Machado (MDB). Durante a defesa da proposta em Plenário, Nego do Buriti reafirmou que a agricultura orgânica merece destaque nos eventos de caráter público, especialmente, por promover a geração de emprego e renda para o agricultor familiar como também se destaca de forma positiva no âmbito da preservação do meio ambiente. (Gazeta do Oeste- Divinópolis)

Universidade perde 68 bolsas de pós

Sessenta e oito bolsas de cursos de mestrado e doutorado da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) vão ser suspensas. O número foi contabilizado pela instituição após o anúncio de cortes feito pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) na última segunda-feira, 2. O órgão, responsável por financiar pesquisas de pós-graduação, informou que vai  congelar 5.613 bolsas em todo o país por conta da redução de recursos. O Projeto de Lei Orçamentária Anual de 2020, elaborado pelo Governo Jair Bolsonaro (PSL), reduz em 17% o dinheiro direcionado à educação, em comparação com 2019. (Tribuna de Minas- Juiz de Fora)

Nove casos de sarampo são confirmados

Nove casos de sarampo foram confirmados em Uberlândia nesta quinta-feira, 5. Segundo o Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES), em todo o estado há 13 confirmações, ou seja, Uberlândia concentra a maioria dos diagnósticos da doença. Ainda de acordo com o boletim divulgado pelo governo, quem transmitiu a doença aos pacientes de Uberlândia é um trabalhador da cidade de Araras (SP) que realiza a manutenção de equipamentos de laboratório junto a estabelecimentos de saúde do Triângulo Mineiro e Sul de Minas. (Diário de Uberlândia)

Programa visa regularizar ambulantes

Foi realizado na Casa da Cultura o 1º Capacita Sete Lagoas. O Programa é uma realização da Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Secretaria de Assistência Social, tendo como objetivo regularizar o comércio ambulante no município, dando condições de trabalho e garantindo a utilização democrática do espaço urbano e a inclusão social. Todo o comércio ambulante atua de forma irregular no município, já que esse tipo de atividade é proibida pela Lei Municipal 5527/1998. A intenção do projeto é criar novas normas, de forma organizada, visando a harmonização entre o comércio ambulante e o comércio local. (Jornal Sete Dias- Sete Lagoas)

Conservatório registrado como patrimônio

A Fundação Cultural de Uberaba (FCU) vai realizar o registro do Conservatório Estadual de Música Renato Frateschi como patrimônio imaterial da cidade. A ação faz parte da comemoração de 70 anos de fundação do Conservatório e vai acontecer no dia 6 de setembro, dia do aniversário, no anfiteatro da Prefeitura de Uberaba, às 19h30. A instituição vai ser registrada na modalidade "Saberes, linguagens e expressões musicais", proposta pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, o Iepha. O evento é aberto ao público. O reconhecimento partiu do presidente da Fundação Cultural de Uberaba, Ronaldo Amâncio. (Jornal da Cidade- Uberaba)

Conselho Tutelar é tema de audiência

O aumento da criminalidade e o crescimento do número de moradores são fatores determinantes para a criação da segunda unidade do Conselho Tutelar em Araguari, afirma o vereador Carlos Machado (PSL). Para discutir o assunto, acontece nesta sexta-feira, 6, uma reunião no plenário da Câmara Municipal. Para ampliar o debate, foram convidados representantes do setor, como poder Judiciário, Polícias Civil e Militar, Conselho Tutelar, Comissário de Menores, bem como, vereadores, pastas e autoridades municipais. Atualmente, a cidade conta com cinco conselheiros tutelares, em conformidade ao artigo 132 do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). (Gazeta do Triângulo- Araguari)

--

Sistema S do Brasil

Flávio Roscoe

A superação da crise e a consequente retomada do processo de crescimento econômico e de avanços sociais em nosso país, passa, necessariamente, pela união dos diversos segmentos da sociedade em um pacto no qual o único e exclusivo compromisso é com o Brasil - e todos devem oferecer a sua cota de sacrifícios. É neste contexto que vemos o acordo firmado entre o governo federal e as entidades que compõem o Sistema S, no qual se incluem o Sesi e Senai, ambos vinculados à Fiemg no plano estadual e à Confederação Nacional da Indústria (CNI) no plano nacional.

É, de fato, um entendimento que merece comemoração, na medida em que explicita o grau de amadurecimento das lideranças do setor produtivo brasileiro e das próprias autoridades governamentais, no âmbito do Ministério da Economia. Dentro do que propôs a Fiemg, desde antes da posse do presidente Bolsonaro, o Sistema S arcará com a redução de 20% na contribuição compulsória que hoje recebe das empresas dos diversos segmentos do setor produtivo - agricultura, comércio, transportes e indústria. De sua parte, o governo compreendeu o sacrifício que será feito pelas entidades e concordou em escaloná-lo, para o setor industrial, ao longo dos próximos três anos.

É um acordo que atende as necessidades de redução do chamado "Custo Brasil", buscando tornar as empresas brasileiras mais competitivas em relação às suas concorrentes nos grandes mercados globais e até mesmo no nosso mercado interno que, cada vez mais, vai sendo invadido e dominado pelos produtos importados. Se queremos ampliar a competitividade da economia brasileira e de nossas empresas, é absolutamente justo e necessário que, em vez de apenas cobrar do governo, também ofereçamos a nossa contribuição. É isso, exatamente, o que representa a redução de 20% nos recursos recolhidos pelas empresas ao Sistema S.

Também na forma como será implementado, o acordo alinha-se à posição proposta pela Fiemg de concentrá-lo exclusivamente no Sesi, preservando-se integralmente os recursos destinados ao Senai. Programas, projetos e ações do Sesi não serão prejudicados, pois a entidade recebe hoje uma contribuição (1,5% sobre a folha de salários) maior do que a destinada ao Senai (1%).

A vantagem, para a indústria e para a sociedade, é que o Senai continuará investindo o mesmo volume de recursos no cumprimento de sua missão de oferecer ensino profissionalizante nos níveis de aprendizagem industrial (totalmente gratuito), técnico, aperfeiçoamento e superior. São serviços fundamentais e estratégicos para as empresas industriais na medida em que profissionais qualificados em nível de excelência são e serão sempre diferencial competitivo da mais alta relevância.

Ao subscrever o acordo em que voluntariamente abre mão de 20% dos recursos que recebe hoje, as entidades gestoras do Sistema S assumem, adicionalmente, o compromisso de aprimorar o seu modelo de gestão, desafio que encaramos com entusiasmo. Com o corte, como tornou-se comum dizer nos dias de escassez que vivemos hoje, teremos que fazer mais com menos, pois não podemos diminuir nem a quantidade e muito menos a qualidade dos serviços prestados à sociedade por Sesi e Senai, entidades consideradas modelo e referência em Minas Gerais, no Brasil e, sim, também no mundo.

De fato, os resultados de Sesi e Senai, presentes em quase 100 municípios mineiros, são realmente expressivos. No ENEM, a média das escolas Sesi, de 658,34, supera a média das redes pública e privada do país, incluindo São Paulo e Rio de Janeiro. Na rede Sesi-Brasil, das 20 escolas melhor colocadas, todas são do Sesi de Minas Gerais. No Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico (IDEB) das 22 escolas Sesi-MG, 14 são as melhores de seus respectivos municípios; e 19 estão entre as melhores de suas cidades. Nossa aluna Ana Luiza Cássia de Bragança, um honroso exemplo, do Sesi de Pouso Alegre, foi aprovada em seis vestibulares de Engenharia - uma em segundo lugar, duas em terceiro e uma em 5º lugar.

O Senai está presente em 60 municípios mineiros, com desempenho expressivo. A entidade forma e entrega para a indústria brasileira profissionais prontos para construir a competitividade necessária para termos um país desenvolvido. Trata-se, sem dúvida, de um serviço da mais alta qualidade, com resultados para toda a sociedade. Sem o Senai, não há trabalhadores capacitados. Formamos mão de obra preparada para forjar o Brasil do futuro.

Todos esses excelentes resultados são oferecidos de forma democrática e aberta para os jovens de Minas Gerais. Já fazendo mais com menos, otimizamos investimentos e ampliamos em aproximadamente 10% o número de vagas em nossas unidades Sesi e Senai no estado. Somente neste ano, são mais de 100 mil alunos matriculados.

Este, em essência, é o patrimônio construído pelo Sistema S no setor industrial. Nosso principal compromisso é mantê-lo e ampliá-lo cada vez mais. Com o corte, necessário para ajudar o Brasil a vencer a crise e fazer a reforma tributária, nossa responsabilidade aumenta ainda mais. Felizmente, estamos preparados para fazer mais com menos. O compromisso do Sistema S é com o Brasil.

FLÁVIO ROSCOE é presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Sistema Fiemg).

FELIZMENTE, ESTAMOS PREPARADOS PARA FAZER MAIS COM MENOS.

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone: (35) 99965-4038
E-mail: comercial@correiodopapagaio.com.br
R. Dr. Olavo Gomes Pinto, 61 - Sala 207 - Centro - São Lourenço - MG