17:51hs
Segunda Feira, 19 de Novembro de 2018

Leia nossas últimas edições

Correio do Papagaio - Edição 1240
Correio do Papagaio - Edição 1242
Regional
28/08/2018 11h57

130 anos de história de Passa Quatro

Cidade é repleta de atrativos naturais, culturais e religiosos

No dia 1º de setembro, a cidade de Passa Quatro, no Sul de Minas Gerais, comemora 130 anos de emancipação política. Mais de um centenário de muitas histórias e alegrias.

A cidade pertence ao Circuito Terras Altas da Mantiqueira e possui cerca de 15 mil habitantes que, com a tradicional e charmosa hospitalidade mineira, recebe centenas de turistas oferecendo inúmeros atrativos e opções para passeios .

A história da cidade tem mais de 300 anos. Começou como um distrito, sendo a principal rota de ligação entre as vilas do Rio de Janeiro e de São Paulo para os núcleos de mineradores, que seria mais tarde chamada de Caminho Velho da Estrada Real. Pertencia a Pouso Alto, mas foi emancipada em 1.888 pela Lei 3.657 de 1º de setembro, passando esse dia a ser feriado municipal.

Ao longo dos anos, vários acontecimentos marcaram a história da cidade. Vamos relembrar alguns principais momentos:

Tudo começou no
Século XVII
22 de junho de 1674: O famoso caçador de esmeraldas da bandeira Fesrnão Dias Pais de São Paulo passou com sua expedição pelos “Sertões das Gerais”, entrando na região pela Garganta do Embaú. Teve sua localização descrita em documentos que dão origem ao nome da cidade. No brasão da cidade consta a data de 1.673.

Século XVIII
1° de novembro de 1717: O Conde de Assumar passa pela região de Passa Quatro, durante sua viagem do Rio de Janeiro a Mariana, para assumir o cargo de primeiro governador da capitania de Minas Gerais.
1733: Domingos Rodrigues Correia pede ao governador da Capitania das Minas uma sesmaria, alegando ter sido o primeiro povoador das terras ao sul onde vivia “com mulher e filhos e mais família. Em 2 de outubro do mesmo ano a concessão é feita pela Coroa Portuguesa, dando-lhe posse de “meia légua de terra” no sítio então já denominado Passa Quatro.
1750: Construção da primeira igreja no local.

Século XIX
2 de março de 1822: Chegada à região da missão científica do naturalista Auguste de Saint-Hilaire.
1850: Fundação do arraial de Passa Quatro pelo casal José Ribeiro Pereira e Ana Mota Pais.
11 de maio de 1853: Instituição canônica da primeira capela.
24 de maio de 1854: Criação do distrito de Passa Quatro, pertencente ao município de Baependi e estabelecimento de suas divisas territoriais pela Lei Provincial n° 693, art. 2° e art. 5°.
13 de julho de 1868: Criada a paróquia de São Sebastião de Passa Quatro, pela Lei Ministerial n° 1.493, tendo o padre José Narciso da Silva Soares, como o primeiro vigário.
19 de dezembro de 1874: A freguesia de Passa Quatro é incorporada ao município de Pouso Alto pela Lei Provincial n° 2.461
11 de junho de 1876: Criação da primeira escola pública de instrução primária, aberta exclusivamente para o sexo masculino, pela Lei Provincial n° 2.301.
21 de abril de 1881: Início da construção da Estrada de Ferro Minas e Rio, ligando Cruzeiro (São Paulo) a Três Corações do Rio Verde (Minas Gerais).
5 de maio de 1883: Inauguração do túnel da Mantiqueira, ligando São Paulo a Minas Gerais, contando com a presença da comitiva imperial, que foi fotografada por Marc Ferrez.
14 de junho de 1884: Inauguração da Estrada de Ferro Minas e Rio pelo Imperador D. Pedro II
25 de junho de 1888: Envio de um abaixo-assinado pela população passaquatrense à Assembleia Legislativa da Província, solicitando a criação do município.
7 de junho de 1888: Emissão de um ofício da câmara municipal de Pouso Alto à Assembleia Legislativa Provincial com moção de aprovação e apoio à pretensão do povo da cidade.
1º de setembro de 1888: Criação do município de Passa Quatro pela Lei Provincial n° 3.657.
13 de dezembro de 1890: Instalação da Câmara Municipal de Passa Quatro.
31 de janeiro de 1892: Primeira eleição para a câmara municipal.
19 de março de 1892: Inauguração do cemitério municipal.

Século XX
1907: Inauguração do primeiro estabelecimento comercial destinado a ser um cinema.
1908: Instalação do Sistema de águas e esgotos da cidade com apoio técnico do Dr. Arlindo Gomes Ribeiro da Luz e do Dr. Paulo de Frontin.
1911: Inauguração do primeiro estabelecimento bancário.
15 de novembro de 1911: Inauguração da Usina Hidroelétrica da Gomeira que passou a fornecer energia elétrica à cidade.
29 de junho 1912: Inauguração do Posto Meteorológico, ainda em funcionamento, e que faz parte, atualmente, da Rede de monitoramento meteorológico do INMET.
1912: Passa Quatro recebe a presença de várias personalidades e uma missão científica composta por estudiosos brasileiros e estrangeiros para observação de um eclipse solar total. Naquela época a cidade foi considerada a melhor localização para a observação do fenômeno. Entre as autoridades presentes se encontravam: o presidente da República, marechal Hermes da Fonseca, o vice-presidente, Venceslau Brás e o diretor do Observatório Nacional, Prof. Henrique Charles Morize.
1925: Elevação da vila de Passa Quatro à categoria de cidade.
14 de julho de 1932: Tropas constitucionalistas paulistas invadem a cidade e explodem a ponte ferroviária nas proximidades da Rua Tenente Viotti.
29 de julho de 1935: Criação da comarca de Passa Quatro, conforme o decreto Estadual n° 155. Foi instalada no ano seguinte.
1968: Pavimentação asfáltica da rodovia MG-158, ligando Passa Quatro a Itanhandu e o alto da Serra, onde passa a se denominar SP-52.
1º de setembro de 1988: Centenário da criação do município com festejos e a adoção oficial da data comemorativa da criação.

Século XXI
2008: Tombamento do Núcleo Histórico da cidade, de acordo com a Lei Municipal n. 1.766/07
Passa Quatro, além de ter uma rica história, também conta com diversos atrativos turísticos, como:
Casa da Cultura e Biblioteca Pública Municipal - é um belo exemplo da arquitetura eclética do início do século passado, construído pela Família Hespanha. Já foi sede do Banco Hypotecário e da Prefeitura Municipal e após ser reformado, o prédio foi adaptado para receber a Biblioteca Municipal e a Casa da Cultura. Atualmente o local também é sede do Patrimônio Histórico Municipal. Em 2000 o imóvel foi tombado, passando a ser o primeiro bem imóvel legalmente protegido da cidade.

Trem da Serra da Mantiqueira (Maria Fumaça) - o trem é conduzido por uma locomotiva “Maria Fumaça” da marca Baldwin de 1929 e de número 332 que era utilizada rotineiramente nas viagens ferroviárias do século passado. Atualmente conduz uma composição num passeio turístico cujo roteiro inicia na histórica estação de Passa Quatro, com uma parada para compras na Estação do Manacá, seguindo até à Estação Cel. Fulgêncio, no alto da Serra da Mantiqueira, junto à entrada do túnel na divisa de MG/SP. Esta ferrovia foi inaugurada por D. Pedro II, no século XIX. O cenário é deslumbrante: uma floresta de Mata Atlântica e muitas montanhas, vales e riachos. A viagem tem um tom especial já que é embalada por uma dupla de violeiros.

Túnel Ferroviário da Serra da Mantiqueira - inaugurado por D. Pedro II em 1881. Foi palco da Revolução de 1930 e 1932.

Brasil Nota 10 - fundado em 15/01/2007, com iniciativa do Instituto Real de Profissionalização para o Trabalho, visa mostrar a estudantes e turistas, de forma agradável e através de Maquetes pedagógicas em escala 1/87-HO, cenas representativas de espaços e tempos ocorridos no curso da história de nosso país desde o Brasil Colônia.
Um projeto social onde as obras são elaboradas por estudantes de Passa Quatro, com objetivo cultural, artístico e educacional, contando também com salas museológicas e de projeção de vídeo.
Casa do Artesão - espaço destinado à demonstração e vendas de artesanatos realizados por artesãos locais.

Fontes de água mineral - Passa Quatro oferece diversas fontes de água potável espalhadas por toda a cidade.

Cachoeira da Gomeira - fica escondida em uma propriedade privada, porém os visitantes são bem-vindos. O acesso é por trilha fácil e termina em uma forte e revigorante ducha. É formada por várias quedas, a maior delas com 40 m, e possui um cenário de rara beleza. É ideal para prática do rappel. Suas águas tocaram as turbinas da primeira usina hidroelétrica da cidade, uma das primeiras do Brasil, em 1911.

Cachoeira e Poço do Quilombo - o Rio do Quilombo é um dos afluentes do Rio Passa Quatro, tem uma pequena queda com bastante água, formando um grande poço. Trilha íngreme com obstáculos até sua chegada, o que dificulta o acesso ao atrativo.

Cachoeira do Mato Dentro - possui duas quedas que proporcionam um relaxante banho de cachoeira, sendo que a última forma um poço onde se pode nadar. Por estar ao lado da estrada, dispensa caminhadas, mas o acesso merece cuidados.

Circuito Caminho dos Anjos - um percurso de 235km, do seu jeito: Bike, Trekking ou Off Road. O Circuito inicia-se em Passa Quatro passando por Itamonte, Alagoa, Aiuruoca, Baependi, Caxambu, São Lourenço e retornando a Passa Quatro.

Floresta Nacional de Passa Quatro (Instituto Chico Mendes de Biodiversidade - ICMBio) - administrado pelo IBAMA até 2007 e agora pelo Instituto Chico Mendes, a Floresta foi criada em 1948. São 332 hectares de matas nativas e exóticas. Possui um pequeno museu, auditório e biblioteca especializada em ciências ambientais, além de fonte de água, lago, Cachoeira do Iporã e viveiros de mudas que são comercializadas. Acesso todo asfaltado. Não cobra taxa de entrada.

Ingazeiro - entre a estrada da Toca do Lobo e a margem do Rio Quilombo, um presente centenário da natureza: uma enorme árvore, o ingazeiro. Pertence à família das leguminosas, cujos galhos têm dimensões de troncos, formando uma copa de 30 m de diâmetro. Convite para um piquenique ou um simples descansar.

Pedra da Mina - é o 4° pico mais alto do Brasil com 2.798,39 m de altitude, localizada na Serra Fina, que é constituída por um conjunto de montanhas com 12 picos acima dos 2.600m de altitude. É uma região pouco explorada e pouco conhecida. Normalmente, se realiza uma travessia de 3 dias pela crista da Serra com longas e intensas subidas e descidas. São mais de 10 km de dificuldades que exigem preparo físico, equipamentos adequados e condições técnicas adequadas.

Pico do Itaguaré - com altitude de 2.308m, situa-se entre os municípios de Passa Quatro/MG e Cruzeiro/SP. Trekking de 4 horas até o topo onde a divisa dos estados se faz por meio de uma fenda na montanha. Trilha selvagem, com 2 horas dentro de mata e outras duas a céu aberto. Paisagem indescritível do Vale do Paraíba de um lado e do outro o município de Passa Quatro e arredores, formando extensos vales e um interminável “mar de montanhas” cobertas por matas e campos. A melhor época para este passeio é de abril a setembro.

Pico dos Marins - situado no Município de Piquete/SP, possui altitude de 2.380m. Trekking de 3 horas e meia a céu aberto em meio a pedras, com uma visão muito parecida da que se tem do Pico do Itaguaré (vide acima). Melhor época abril a setembro.
ravessia Marins-Itaguaré - este passeio se caracteriza por ser um trekking que dura dois dias. A melhor forma é iniciar pelo Pico dos Marins, trekking de 6 horas, acampar no meio do caminho após a Pedra Redonda. No dia seguinte, mais 6 horas de caminhada e chega-se ao Pico do Itaguaré. Para descer até a base da montanha gasta-se 2 horas.

Travessia da Serra Fina - são quatro dias de trekking pesado. Primeiro dia: inicia-se a travessia pela Toca do Lobo (1.550m) e depois de 5 horas de caminhada chega-se no Pico do Capim Amarelo (2.491m). Acampar. Segundo dia: Pico Capim Amarelo para o Pico da Pedra da Mina (2.797m) ponto máximo da travessia. São 7 horas de caminhada. Acampar. Terceiro dia: Pico Pedra da Mina para o Pico dos 3 Estados (2.656m). Divisa entre os três estados Minas, São Paulo e Rio. Caminhada de 7 horas. Acampar. Quarto e Ultimo dia: Pico dos 3 Estados para o sitio do Pierre (1.800 m), no município de Itamonte, próximo da divisa Minas e Rio, na Garganta do Registro. São 6 horas de descida. Neste passeio é necessário acompanhamento de guias especializados.

Poço da Boa Vista - pequeno poço encravado numa grande laje de pedra, entre morros contornados por matas. Formado por um pequeno rio que desce por um verde vale repleto de quaresmeiras.

Poço do Manacá - belíssimo “cannion” esculpido pelas águas do Rio Passa Quatro, onde as pedras côncavas, num desfiladeiro de aproximadamente 50 m, formam pequenas grutas, poços e cachoeiras. Por haver muita sedimentação, suas águas tem uma coloração barrenta.

Rio Verde - um dos atrativos mais bonitos de Passa Quatro é o Rio Verde. Alguns de seus afluentes nascem aos pés do Pico da Pedra da Mina (2.797 m), formando um caudaloso rio com águas frias e cristalinas, que corre entre imensas pedras, em meio à mata nativa. Sua coloração esverdeada é impressionante. Distante 8 e 12km da estrada que liga a cidade a Floresta Nacional de Passa Quatro. As trilhas no meio de pastos, matas e descidas íngremes dificultam o acesso.

De São Paulo - De Carro: Airton Sena, Carvalho Pinto e Via Dutra - Saída para MG: km 46 - Canas | Km 39 - Cachoeira Paulista | Km 34 - Cruzeiro

Do Rio de Janeiro - De Carro: Via Dutra até km 22, Lavrinhas, Cruzeiro, Passa Quatro

De Belo Horizonte - De Carro: Fernão Dias até Três Corações, Caxambu, Pouso Alto, Itanhandu, Passa Quatro

De São Lourenço - para Passa Quatro: Viação Cidade do Aço (Distância: 49,8 Km)

 

PUBLICIDADES
SIGA-NOS
CONTATO
Telefone para contato.: (35) 3332-1008
Textos e contatos em geral: jornalcp@correiodopapagaio.com.br
SAC: online@correiodopapagaio.com.br
R. Ledo, 250 - Centro - São Lourenço - MG